Traficante brasileiro fingia estudar Medicina no Paraguai pra circular livremente

Traficante de drogas e armas procurado pela Justiça brasileira, suspeito ainda de ser o novo líder do Primeiro Comando da Capital (PCC) no Paraguai, Weslley Neres dos Santos, o “Bebezão”, circulava tranquilamente entre Pedro Juan Caballero e Ciudad del Este. Quando precisava se identificar, mostrava a carteira de estudante de Medicina numa universidade paraguaia.

A carteira de estudante – não se sabe se real ou falsificada – funcionava como uma espécie de salvo-conduto para o traficante circular entre as cidades de fronteira do Paraguai.

“Bebezão” foi preso, junto com outros 13 supostos participantes do PCC, brasileiros e paraguaios, numa operação da Secretaria Nacional Antidrogas (Senad), nesta terça-feira (23) à noite, quando estavam reunidos para definir futuros crimes e ações, num lava-rápido no centro de Pedro Juan Caballero.

A captura foi possível graças a informações compartilhadas entre a Senad e a Polícia Federal do Brasil, como parte da Operação Fronteira Segura II.

Foi apreendido com eles um forte armamento, incluindo cinco fuzis e carregadores, além de celulares e documentos. “Bebezão” jogou o celular dele contra o solo, destruindo-o para não ter dados expostos. Mas o promotor que acompanhou a operação, Celso Morales, disse que o gesto dele foi ingênuo, já que será possível obter as informações da mesma forma.

Além de “Bebezão”, foram presos os brasileiros Bruno Cesar Pereira, Alfredo Gimenes Lorrea, Bruno Rafael Porto de Oliveira, Maxlese Rodrigues e Wiilian Meira do Nascimento.

Os paraguaios são Yoni Gomez Gimenez, Jonathan Rodrigo, Ramires Alvarez, Vicente Silva Cristaldo, Benigno Jara Alvarez, Nelson Gustavo Amarillo Elizeche, Rodrigo Ariel Acosta, Pedro Pablo Gauto e Sergio Gomez Gimenez.

As informações foram publicadas pelo jornal Última Hora e pelo site brasileiro TempoMS.

O jornal Hoy traz a informação de que os brasileiros serão expulsos e entregues a autoridades brasileiras ainda nesta quarta-feira, 24.

O site Campo Grande News informa que a Polícia Federal Weslley confirmou que “Bebezão” tinha contra ele um mandado de prisão desde 6 de fevereiro deste ano, a partir das investigações da Operação Empossados sobre o tráfico de armas e drogas.

 

 

Gostou do texto? Contribua para ampliar o jornalismo em Foz do Iguaçu. ASSINE JÁ

Claudio Dalla Benetta - H2FOZ

Cláudio Dalla Benetta é repórter do H2FOZ. e-mail: [email protected] Veja mais mais conteúdo do autor.

error: O conteúdo é de exclusividade do H2Foz.