Veterano bandido brasileiro reaparece no Paraguai, onde age há 20 anos. E é preso

H2FOZ – Cláudio Dalla Benetta

Um dia depois de seu aniversário, na sexta-feira, 14, quando fez 67 anos, o assaltante brasileiro Aluisio Cavalcanti da Silva foi preso mais uma vez pela polícia paraguaia, país onde ele age há cerca de 20 anos.

Ele estava numa moto com um cúmplice, quando percebeu a presença de um carro da polícia, que pretendia fazer uma abordagem. Ele e o paraguaio Derlis de Pilar Benítez Chaves, de 20 anos, abandonaram a moto e Aluísio, protegido atrás de um carro, enfrentou os agentes a tiros.

Aluísio levou um tiro no rosto e seu cúmplice foi perseguido e também detido em seguida.

Durante todo o final de semana, Aluísio omitiu sua verdadeira identidade, mas acabou sendo reconhecido graças ao Comando Tripartite, que une as polícias do Brasil, Paraguai e Argentina. Sua ficha estava com a Polícia Federal do Brasil, segundo noticia o jornal ABC Color.

Para o jornal, Aluísio é uma verdadeira “instituição” do mundo do crime no Paraguai. A última vez em que foi preso ocorreu em 2014. Em 2011, o governo paraguaio chegou a protestar contra a promotoria, pela rápida liberação dele após um golpe.

Em pesquisas nos jornais paraguaios, há o registro de uma prisão em 2008, em Caraguatay, departamento de Cordillera.

Em junho de 2011, Aluísio foi preso com base numa ordem de captura pelo assalto à Cooperativa Universitária, sucursal de Ciudad del Este.

Na casa dele, foram encontradas uma caminhonete roubada e uma moto de origem duvidosa, além de uma escopeta calibre 12, 30 cartuchos e um colete à prova de balas.

No ano anterior, Aluísio havia sido detido como suspeito de ser um dos participantes do multimilionário assalto a uma agência do Banco Itaú.

Sua detenção foi devido a certas semelhanças com um dos assaltantes que entraram na agência, mas as imagens do circuito de segurança não confirmaram que era ele.

Em 2014, ele e dois cúmplices foram novamente presos quando estavam a bordo de um carro roubado. Eles estavam planejando um golpe, de acordo com a polícia.

O jornal Última Hora noticiou, à época, que com os detidos foram encontrados um revólver, duas balaclavas, três pares de luvas de lã, duas bolsas, dois quepes bicolores, uma chave de fenda, um cortador de ferro e uma chave mestra.

Aos 67 anos, Aluísio é uma “instituição” no mundo do crime paraguaio.
error: O conteúdo é de exclusividade do H2Foz.