Foz terá 2ª carreata para exigir agilidade na oferta de vacina a toda a população

Movimento será no próximo sábado, 20, com concentração na entrada da Vila C e término na Feira da JK.

Matéria atualizada para ajustar data do evento, redefinida pelos organizadores. 

Para cobrar agilidade dos governos na imunização de toda a população contra o coronavírus, entidades sindicais e movimentos populares promovem em Foz do Iguaçu a segunda Carreata Vacina Já, no próximo sábado, 20. A concentração será às 13h30, na entrada da Vila C, entre a Avenida Tancredo Neves e a Rua C, terminando na Feira da JK.

A organização ressalta que o movimento é aberto a qualquer pessoa interessada, bastando ir em automóvel ou moto e seguir as regras sanitárias. O comboio de veículos terá à frente um carro de som com mensagens para a comunidade sobre a importância da vacinação para conter a pandemia de covid-19, que está em seu estágio mais grave.

É a segunda carreata realizada no município para exigir o acesso universal à vacina com rapidez, integrando uma mobilização nacional de entidades. A primeira edição ocorreu no dia 31 de janeiro e percorreu diversos bairros iguaçuenses, mesmo sob forte chuva.

No chamado público, o movimento cita o número de mortes devido à infecção do novo coronavírus e afirma que o poder público teve um ano para organizar um sistema de vacinação eficiente. Menciona, ainda, o efeito econômico da crise sobre a população, como o número de 4,4 mil desempregados em Foz do Iguaçu no ano de 2020.

Uma das organizadoras da carreata, a professora da Unioeste/Foz Tamara Cardoso André explica que a pauta da mobilização inclui a reivindicação por auxílio emergencial em valor condizente. Esse benefício, expõe, é para que a população mais vulnerável possa ter condições de enfrentar a pandemia.

“O objetivo da carreata é defender a vacina já para todas as pessoas, volta às aulas só com vacinação e auxílio emergencial”, frisa a docente. “É uma manifestação contra a PEC 186 que impõe teto de investimentos públicos e também pede ‘Fora Bolsonaro e Mourão’ [saída do governo do presidente Jair Bolsonaro e de seu vice, Hamilton Mourão]”, completa.

Para Tamara, quem mais tem inviabilizado a vacina é o governo federal. “Por isso chamamos ‘Fora Bolsonaro e Mourão’. No entanto, também não se pode descartar que o movimento exerça uma força no sentido de, ao mostrar que a população quer a vacina, servir de impulso para que governadores e prefeitos busquem outros meios de vacinar a população”, enfatiza.

Na análise da professora universitária, frear o avanço da pandemia do novo coronavírus exige medidas para restringir aglomerações e a circulação de pessoas. “O que acaba afetando estabelecimentos comerciais em geral, bares, restaurantes e hotéis”, expõe.

“Isso gera uma reação em cadeia, pois pequenos comerciantes e empresários passam a ter prejuízo, são obrigados a fechar seus negócios, gerando desemprego e afetando a economia”, elenca. “O governo federal deveria manter o auxílio emergencial de R$ 600 e ampliar o número de beneficiados, além de executar políticas para ajudar a salvar os pequenos empresários e comerciantes”, finaliza.

Trajeto da carreata

Região Norte: Avenida Tancredo Neves, Rua C, Alameda Vila Velha, Rua D, Rua N, Rua Recife, Rua Ambrósio Losi, Rua Elói Armando Nedel, Avenida Garibaldi, Avenida Tarquínio Joslin, Avenida Andradina, Avenida Silvio Américo Sasdelli, Avenida Anhembi e Avenida Araucária.

Região central: Avenida Paraná, Avenida José Maria de Brito, Avenida Gustavo Dobrandino da Silva, Avenida João Paulo II, Avenida República Argentina, Rua Mato Grosso, Avenida Costa e Silva, Avenida Brasil, Rua Quintino Bocaiuva e Ferinha da JK.

Material utilizado para convidar a população pelas redes sociais – Foto: Reprodução

Gostou do texto? Contribua para ampliar o jornalismo em Foz do Iguaçu. ASSINE JÁ

Paulo Bogler - H2FOZ

Paulo Bogler é repórter do H2FOZ. e-mail: [email protected] Veja mais mais conteúdo do autor.

error: O conteúdo é de exclusividade do H2Foz.