Jorge Guaranho será levado a júri popular dia 4 de abril em Foz

Perspectiva de advogado da família da vítima é de condenação do réu que tirou a vida do guarda municipal Marcelo Arruda em 2022

Apoie! Siga-nos no Google News

Autor dos disparos que tiraram a vida do guarda municipal Marcelo Arruda, o ex-policial penal Jorge Guaranho vai a júri popular no dia 4 de abril em Foz do Iguaçu. O julgamento estava previsto para ocorrer em 7 de dezembro do ano passado, porém foi adiado porque a defesa do réu solicitou mais tempo para juntar provas.

Um dos advogados da família de Marcelo Arruda, Daniel Godoy diz que a expectativa é de condenação do acusado. “As provas são robustas. Mas a decisão é do júri, que é soberano”, salienta.

O corpo de jurados será formado por sete pessoas selecionadas conforme critérios estabelecidos pela lei. Estima-se que o julgamento possa durar de dois a três dias.

O depoimento de Guaranho será colhido de forma presencial. Atualmente, ele está preso no Complexo Médico Penal do Paraná, em Pinhais, na região metropolitana de Curitiba.

O réu responde por homicídio doloso duplamente qualificado, após denúncia do Ministério Público do Paraná (MPPR) à Justiça.

Crime

O crime ocorreu em 10 de julho de 2022, quando Marcelo Arruda comemorava seus 50 anos com a família e amigos em uma festa que tinha como tema o Partido dos Trabalhadores (PT) e o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que na época não estava no comando do país. Arruda era tesoureiro e militante do PT.

Guaranho invadiu de carro o local da festa, na sede da Associação Recreativa e Esportiva de Segurança Física (ARESF), com a mulher e o filho de colo. Testemunhas afirmaram que tocava no som do veículo uma música em alusão ao ex-presidente Jair Bolsonaro e que o acusado chegou dizendo “aqui é Bolsonaro”.

Crime ganhou repercussão nacional e internacional – foto: Reprodução/Facebook/Arquivo da família

Ele soube da festa porque teve acesso, por meio de terceiros, a imagens gravadas por câmeras de segurança. Sem mesmo conhecer Arruda, o réu invadiu o local e insultou os presentes.

Leia também:

O ex-policial penal não saiu do carro, mas discutiu com Marcelo Arruda e foi embora. Pouco tempo depois, ele retornou sozinho. Com arma em punho, desceu do veículo e começou a atirar. Os disparos atingiram a vítima, que não resistiu aos ferimentos.

No tiroteio, Arruda conseguiu reagir e atingir Guaranho, que ficou internado por um tempo até ser removido para o Complexo Médico Penal em Pinhais.

Nota da Defesa

Informe enviado pela defesa de Guaranho à redação do portal H2Foz

Informamos que o julgamento de Jorge Guaranho, acusado pela morte de Marcelo Arruda, está previsto para ocorrer no dia 04 de abril deste ano.

Esclarecemos que a defesa, representada pelos advogados Cláudio Dalledone e Renan Pacheco Canto, não tem a intenção de solicitar o desaforamento do julgamento. Pelo contrário, estamos comprometidos em apresentar nossa estratégia de defesa e demonstrar, no dia do julgamento, a necessidade de afastar qualquer politização que possa envolver o caso.

Reiteramos nosso compromisso com a busca pela verdade e pela justiça, respeitando sempre os princípios éticos e legais que regem o nosso sistema judiciário.

LEIA TAMBÉM

Comentários estão fechados.