Vice-presidente Hamilton Mourão visita a usina de Itaipu

Mourão (ao centro) e diretores no Mirante Central. Imagem: Rafael Kondlatsch / Itaipu Binacional
Siga a gente no

Agenda incluiu visita técnica e reunião com diretores brasileiros e paraguaios.

O vice-presidente da República, general Hamilton Mourão, esteve em Foz do Iguaçu, nessa terça-feira (17), para compromissos na usina de Itaipu, em celebração aos 48 anos da entidade binacional. A agenda incluiu visita técnica, plantio de árvore no Bosque dos Visitantes e reunião com diretores brasileiros e paraguaios.

Mourão foi recebido pelo diretor-geral brasileiro, Anatalicio Risden Junior, e assistiu a uma palestra sobre “Biodiversidade e Desenvolvimento Sustentável”, apresentada pelo diretor de Coordenação, Luiz Felipe Carbonell. Antes da visita técnica, plantou uma muda de ipê-amarelo no Bosque dos Visitantes, localizado junto ao Centro de Recepção.

O general revelou que foi sua quarta passagem pela usina desde a década de 1980. “Em todas as vezes eu só tive a felicidade de ver avanços na forma como a usina opera, na forma como ela se relaciona com o seu entorno”, afirmou Mourão, em declaração divulgada pela assessoria de imprensa de Itaipu.

Ao término da visita técnica, o vice-presidente assistiu a uma apresentação dos projetos do Parque Tecnológico Itaipu (PTI-BR), ministrada pelo diretor-superintendente, Eduardo Garrido. Além da usina, Mourão participou, na Terra das Cataratas, da abertura do 9º Mercado Brasileiro de Soja, evento promovido pela Embrapa Soja.

Unidade 9A, inaugurada no início dos anos 2000. Imagem: Sara Cheida / Itaipu Binacional

Aniversário

Itaipu Binacional celebrou, nessa terça-feira, os 48 anos de criação da entidade que administra a hidrelétrica do Rio Paraná, fundada em 17 de maio de 1974. As prioridades para os anos seguintes, definidas pela diretoria, são a atualização tecnológica, o aprimoramento da gestão e a continuidade de projetos voltados ao desenvolvimento.

Segundo Itaipu, o projeto de atualização tecnológica é a maior iniciativa conduzida na usina desde sua construção. O investimento é de US$ 649 milhões (R$ 3,2 bilhões), com previsão de execução ao longo dos próximos dez anos.

O plano contempla a substituição dos sistemas de controle e proteção das 20 unidades geradoras de Itaipu, da subestação isolada a gás, dos serviços auxiliares da usina, das comportas do vertedouro e da barragem, de toda a fiação de força e controle desses dispositivos, além do sistema de medição e faturamento da usina.

Em abril de 2023, por sua vez, o Tratado de Itaipu, documento que definiu as bases para a construção da hidrelétrica, completará 50 anos. A previsão é a de que o Anexo C, que trata dos arranjos financeiros entre Brasil e Paraguai, seja renegociado entre as partes, priorizando pontos como a redução da tarifa.

É proibida a reprodução total ou parcial deste conteúdo sem prévia autorização do H2FOZ.

Guilherme Wojciechowski - H2FOZ

Guilherme Wojciechowski é repórter colaborador do H2FOZ. E-mail: [email protected] - Veja mais mais conteúdo do autor.

-->