A escrita como parte do ser

Escritora conta como começou na literatura e a importância do incentivo

Apoie! Siga-nos no Google News

Renata Dembogurski, escritora, publicitária e roteirista sempre teve contato com histórias por ser filha de publicitários. O contato com as histórias veio desde cedo, mas a primeira vez que se aventurou na escrita veio com a biografia da avó.

A partir daí, continuou a escrever e a estudar, publicou diversos livros, participou de diversos eventos e até lançou um passo a passo para ajudar outras pessoas que também querem escrever. A conversa no programa Marco Zero tratou de toda a trajetória da escritora e também como a arte e a criatividade estão sempre de mãos dadas.

Durante a entrevista, foram respondidas as seguintes perguntas:

* Explica pra gente essa afirmação: “Escrever faz parte do fisiológico do meu ser”. Por quê?. 

* Você diz que percebeu que “havia muita inventividade para escrita literária durante uma viagem”. Conta para gente essa história. Quando e por que você começou a escrever? 

* Na literatura, você publicou várias obras. Entre elas, estão 1) “Virkadaz”, 2) “Pense Melhor Antes de Pensar”, 3) “Veludo Púrpura”, 4) “Escolhe Aí, Vai”, 5) “A Casa das Vinte Milhas”, 6) “Everbook da escrita: O essencial para um escritor ficcionista”. Conte um pouco sobre elas.

* Você participou da Bienal de São Paulo. Quando foi e como foi essa experiência?

* Durante sua trajetória, você recebeu prêmios. Lembra de cabeça quais foram eles e qual importância desses reconhecimentos?

* E nesta semana você também participou da Feira Internacional do Livro de Foz do Iguaçu. Como foi?

* Vamos voltar ao assunto da leitura… quais são os principais gêneros da sua prateleira? Quais são os seus autores preferidos?

* Como é o seu processo de criação? De onde vem a inspiração? É tudo ficcional ou seus livros trazem muito da realidade do dia a dia?

* Para você, o que significa escrever?

* Onde encontrar os livros, em quais plataformas?

* Canais de contato

LEIA TAMBÉM