Fórum Permanente das Árvores lança ações para uma Foz mais verde e saudável

Programação diversificada promoverá debates sobre saúde, emergência climática e cidadania.

Apoie! Siga-nos no Google News

O Fórum Permanente das Árvores chega à terceira edição com uma grande novidades: agora todo mês terá atividade em Foz do Iguaçu. A programação é bem diversificada, com destaques para cinedebates temáticos, mutirões de plantio (de mudas e de hortas), palestras, exposições e oficinas. Ações para todos os gostos.  

Seu objetivo é funcionar como espaço de interlocução entre população, academia e poder público, bem como tornar a nossa cidade mais verde e saudável. Realizado desde 2021, é organizado em parceria entre Coletivo Educador, Doc Ambiente, Plante Uma Árvore Foz e Observatório Educador Ambiental Moema Viezzer (Obeamv).  

A ampliação das atividades do Fórum Permanente das Árvores acontece num momento de perda de áreas verdes na cidade. Apesar da melhora em seus processos de gestão ambiental, o município tem perdido vegetação ano a ano. “Perdemos árvores das ruas e praças, dos poucos bosques e às margens dos rios. Nosso Plano de Arborização Municipal e nosso Plano Municipal de Conservação e Recuperação da Mata Atlântica, o PMMA, ainda precisam sair do papel”, afirmam as entidades em comunicado à imprensa. 

Segundo a rede de organizações, “muita gente pede à prefeitura para retirar árvores e nem tanta gente assim pede que sejam plantadas árvores ou se dispõe a plantá-las. Enquanto isso, Foz sofrendo cada vez mais o impacto das mudanças climáticas, com ondas de calor, fortes vendavais e geadas. Em todos estes casos, a vegetação pode ajudar a proteger a população e minimizar os efeitos e danos destes eventos”. 

Para os profissionais da rede, é preciso reforçar a importância das árvores na melhoria da “temperatura e do microclima, protegendo a biodiversidade, o solo e as nascentes. Que elas são fonte de lazer, beleza e bem-estar você também sabia, aposto. Ah, sim! Você deve estar lembrando que elas diminuem a poluição sonora, luminosa e ajudam a diminuir a circulação dos agrotóxicos. Mas você tinha ideia de que a presença de árvores no meio urbano tem também o poder de melhorar nossa imunidade e o equilíbrio hormonal, regular a pressão, reduzir o estresse, contribuir para a cura da depressão e a prevenção do câncer, além de melhorar o humor, a oxigenação sanguínea e a disposição? Sim, tudo isso. Graças aos íons e aromas emitidos por elas!” 

Veja a programação completa ao fim da matéria.  

Monitorar o quê, monitorar pra quê? 

Por tudo isso, o monitoramento participativo, os mutirões de plantio e os espaços informativos e formativos, inclusive de lazer e culturais, são fundamentais. É o momento do encontro, da articulação, do aprendizado coletivo, do exercício da cidadania. E, claro, de diversão e parceria. 

O monitoramento participativo de diversas trilhas e ambientes da cidade tem a função de observar a melhora ou piora das condições das áreas destinadas à conservação pelo Plano Municipal de Conservação e Recuperação da Mata Atlântica, informando e apoiando o poder público para que tome providências. 

O PMMA é um instrumento que viabiliza a aplicação da Lei da Mata Atlântica (11.428, de 22 de dezembro de 2006). Em Foz do Iguaçu, o plano abrange 24 áreas prioritárias e foi aprovado em julho de 2020. O monitoramento participativo favorece a colaboração da comunidade em ações de melhoria da qualidade ambiental, além de cultivar o espírito democrático e ampliar a cidadania. 

Em 26 de novembro de 2022 foi realizado o primeiro encontro para o monitoramento participativo na Área 3, na Trilha do Vietnã (Vila A). A visita foi conduzida pela bióloga Mariana Meneses, orientada pela professora Ana Alice Eleutério e equipe do Obeamv. 

O evento contou com 12 participantes, incluindo estudantes de graduação e pós-graduação, pesquisadores do Programa de Pós-Graduação em Políticas Públicas e Desenvolvimento PPGPPD/Unila, moradores e profissionais de diversas áreas do conhecimento. 

Os próximos monitoramentos acontecem nas seguintes datas: 

23/4/2023, domingo: correspondente à Área 2, que pertence à microbacia do Rio Almada. O encontro para o início da trilha acontecerá às 8h30, no Jardim Curitibano, no cruzamento da Rua Moisés Lupion com a Rua Borborema. Observe a localização no mapa: https://maps.app.goo.gl/b6UofeQ41MrRFLkd8

20/8/2023, domingo: retornaremos à área do Almada. Hora e local de encontro serão divulgadas posteriormente nas redes sociais do Obeamv, que podem ser visualizadas no link: https://www.obeamv.org/

E o cinema, o que tem a ver com o verde das cidades? 

O cinema nos proporciona reflexões a partir de estímulos sensoriais, que geram maior empatia e compreensão de realidades complexas. No cinedebate previsto para agosto, por exemplo, a pergunta é: como os sistemas alimentares se relacionam com a questão climática? Florestas e alimentos saudáveis: uma combinação inevitável. A roda de conversa, com equipe do Obeamv e convidados especialistas, terá como ponto de partida os filmes “As Sementes de Vandana Shiva” (2021) e “Sustentável” (2016), que deverão ser assistidos antes do debate acessando a plataforma da Ecofalante (https://ecofalante.org.br/), mediante inscrição prévia no evento para o envio de senha. 

Pronto pra ação? Além de animar o ano com sua participação, você também pode propor atividades! Traga seu movimento para a programação do fórum e espalhe sementes de saúde na cidade. Entre em contato com as organizações e some-se à rearborização de Foz do Iguaçu. 

Fórum Permanente das Árvores – Programação 2023 

ABRIL
22, sábado: Feira da Semente do Projeto Horta Comunitária Nova Andradina/Cidade Nova II

23, domingo: monitoramento da Trilha do Almada, com Obeamv e Plante Uma Árvore Foz

Durante todo o mês, de segunda a sexta: exposição de parte do Acervo Moema Viezzer, na Biblioteca da Unila.

MAIO
23, terça, 19h: palestra do Coletivo Educador

JUNHO
Cinedebate com o Doc Ambiente

4, domingo: sarau junino ambiental, com o Centro de Direitos Humanos (CDH)

JULHO
28, sexta: “Pensar os sistemas alimentares na transição para um futuro sustentável” (cinedebate com Obeamv e Ecofalante)

29, sábado: mutirão de plantio (com Plante uma Árvore Foz)

AGOSTO
20, domingo: monitoramento da Trilha do Almada e expedição fotográfica (Obeamv)

SETEMBRO
Encontro anual do Fórum Permanente das Árvores (com mesa de debates, filme, mutirão de plantio, oficina e atividades culturais)

OUTUBRO
Palestra do Coletivo Educador

NOVEMBRO
Cinedebate com Doc Ambiente

DEZEMBRO
1.º, sexta: III Ciclo Formativo em Transição para Sociedades Sustentáveis e Regenerativas do Obeamv e Doc Ambiente. Apoio: Parque Nacional do Iguaçu.

LEIA TAMBÉM

Comentários estão fechados.