PF investiga caçador com jet ski na região do Parque Nacional do Iguaçu

Cruel, homem publicou vídeo matando um veado que tentava fugir pelo Rio Iguaçu, enquanto pilotava moto aquática.

Apoie! Siga-nos no Google News

Na manhã desta quarta-feira, 7, a Polícia Federal (PF) cumpriu mandados de busca e apreensão em investigação que apura caça ilegal na região do Parque Nacional do Iguaçu. O objetivo é reunir indícios que demonstrem a autoria de crimes ambientais.

LEIA TAMBÉM: Flagramos uma baita família de capivaras!

As ordens da Justiça foram cumpridas em Capanema, cidade lindeira à unidade de conservação, expedidas pela Vara Federal de Foz do Iguaçu. A polícia iniciou a investigação a partir de dois vídeos disseminados nas redes sociais que revelam caça ilegal e crueldade.

“No primeiro vídeo, o animal aparece dentro do Rio Iguaçu, tentando fugir do criminoso que está pilotando um jet ski”, informa a PF. No segundo conteúdo, “o animal já aparece morto e o criminoso comemora, informando ainda que não houve ‘tortura’”, reporta.



A morte do animal pelo caçador inclemente gerou revolta na população local da região. Apesar de o homem não expor seu rosto nos vídeos, os policiais federais realizaram diligências e perícias para identificá-lo. Entre os recursos usados na apuração estão:

  • adereços;
  • comparativo de voz;
  • identificação de referências locais; e
  • pesquisa por testemunhas.

Caçador

Os indícios coletados preliminarmente levaram ao pedido e expedição dos mandados judiciais. “As investigações continuam através da análise dos materiais arrecadados, buscando a identificação dos envolvidos pelo crime ambiental”, relata a PF, para punição dos envolvidos.


Crime de caça ilegal é punido com pena de seis meses a um ano de detenção, e multa. “Mas pode ser aumentada caso seja cometido em unidade de conservação”, caso do Parque Nacional do Iguaçu, enfatiza a Polícia Federal.

LEIA TAMBÉM