Como um ex-jogador de elite se tornou árbitro profissional?

Foi na partida entre Olympique de Marseille e Brest que Gaël Angoula voltou a pisar nos gramados de uma partida da Ligue 1, a primeira divisão da França, pela primeira vez desde 2017. Entretanto, não foi como jogador que Angoula voltou aos estádios do futebol francês. Depois da sua aposentadoria em 2017, o antigo lateral se tornou árbitro profissional.

O futebol desperta paixão naqueles que entram em contato com o esporte. Muitos jogadores que se aposentam assumem outras funções, os torcedores seguem cada vez mais conectados. Veja aqui uma forma a mais de melhorar a experiência de assistir ao futebol e acompanhar os passos dos times.

WHATSAPP – Assine a nossa linha de transmissão.

TELEGRAM – Entre em nosso grupo.

Com a característica de jogador “trabalhador”, que fazia o jogo sujo para os outros brilharem, Angoula atingiu o auge de sua carreira entre 2013 e 2017. No período, ao vestir a camisa do Bastia, Angers e Nîmes, o francês deixou a National, terceira divisão, para chegar ao topo da pirâmide do futebol do país duas vezes campeão do mundo.

Após disputar três temporadas na elite, sendo uma com o Bastia e duas com o Angers, Gaël ainda teve uma passagem rápida de um ano pelo Nîmes na Ligue 2, a segunda divisão, antes de deixar os gramados.

Foi em seu último ano como profissional que, por acaso, Angoula despertou o interesse pela profissão ao conversar com o já árbitro Nicolas Rainville. “Fui vê-lo por empatia. Já havia cruzado meu caminho com o dele na Ligue 1. Nada foi pensado, fui conversando para ter assunto”, declarou Gaël ao L’Équipe depois de ter encontrado Nicolas no CT do Nîmes.

Assim, a amizade foi formada e, em cada semana, os dois trocaram experiências sobre as partidas da rodada. “Ele me pediu um livro com as regras do jogo. Seu time estava prestes a subir à primeira divisão e poderia escolher entre um pequeno livro e um manual de duzentas páginas. Testei sua motivação ao dar o manual grande”, confessou Rainville.

Depois de passar pelos exames e ter sido aprovado prematuramente pelo passado como jogador, Angoula apitou seu primeiro jogo em 2018, na terceira divisão da França. E três anos depois, numa coincidência, a estreia na elite aconteceu.

Antony Gautier, árbitro principal da partida entre Marseille e Brest, se lesionou no aquecimento. Escalado como quarto árbitro num primeiro momento, Angoula recebeu o chamado para assumir o comando da partida. Nas colunas do L’Équipe, o ex-jogador recebeu nota 7 e foi eleito como o árbitro da rodada.

Seu impacto é tão grande que a passagem de apito agora será de pai para filho: com 12 anos, Nyliann, o primogênito de Gaël, já se inscreveu num curso de arbitragem para seguir os mesmos passos do pai.

Gostou do texto? Contribua para ampliar o jornalismo em Foz do Iguaçu. ASSINE JÁ

Já escutou o último episódio do GUARÊ, o podcast do H2FOZ? OUÇA AGORA

NEGÓCIOS

Esta página faz parte da seção Negócios e não integra o conteúdo jornalístico do H2FOZ.