A dica é: procure lojas afamadas, que têm nome a zelar. Evite lojinhas de galerias escuras. Foto Marcos Labanca

Turista brasileiro (mais um!) é vítima de golpe em loja de Ciudad del Este

É mais um caso, que se soma a dezenas de outros. Mas nenhum comerciante foi punido até hoje.

A notícia publicada na edição desta quinta, 26, no jornal ABC Color, tem como vítima de golpe o turista de São Paulo Alexandre Quirino Coelho.

Ele foi a uma loja do já tristemente famoso shopping Vendôme para comprar um iPhone. Pagou US$ 700 (quase R$ 3.700). Mas, quando recebeu o aparelho, viu que era inferior ao que pedira.

Alexandre procurou a polícia e, em companhia de agentes, voltou à loja. O dono lhe devolveu o dinheiro e o caso foi encaminhado ao Ministério Público.

Tudo terminou bem pra ele, apesar do incômodo. Tem turista que perde tudo.

Veja o que publicamos na terça-feira, 24:

Loja de Ciudad del Este lesa turista brasileiro em R$ 59 mil

A notícia do ABC Color não informa se o turista enganado ontem também foi levado à loja por um “pirañita”, mas é bem provável que sim. Este tipo de “profissional”, formalmente chamado de “guia de compras”, faz parte da rede formada para enganar brasileiros.

DENÚNCIAS SE ACUMULAM. E NADA…

Desde que a Ponte da Amizade foi reaberta, em outubro de 2020, o Ministério Público do Paraguai, em Ciudad del Este, já recebeu 115 denúncias de golpes contra turistas brasileiros, informa o jornal La Clave.

Desse total, o Ministério Público deu seguimento a menos de 10% das denúncias, que estão engavetadas na unidade designada especialmente para intervir nas fraudes contra turistas.

Segundo La Clave, fontes do próprio Ministério Público informaram que os comerciantes denunciados nem mesmo foram autuados e continuam operando impunemente.

Não é por acaso, portanto, que vez ou outra a mesma loja já denunciada por lograr um comprador apareça em nova denúncia.

Muitas vezes, a intervenção dos promotores, quando acompanham a vítima de golpe à loja denunciada, é somente para obrigar o proprietário a devolver o dinheiro.

E assim o caso é encerrado, sem que os responsáveis sejam chamados a depor. Ficam livres para novas fraudes.

O jornal fala em um círculo de corrupção, formado por agentes públicos de várias esferas, para proteger os “comerciantes inescrupulosos”.

Com isso, contribuem para a má fama de Ciudad del Este e contribuem para agravar ainda mais a já difícil situação econômica da cidade.

O jornal cita nomes de várias autoridades que estariam entre os responsáveis pelo esquema corrupto.

LISTA DA VERGONHA

Como publicamos na matéria linkada acima, o jornal La Clave também lembra que a Polícia Nacional divulgou uma lista de lojas acusadas de goles contra compradores brasileiros.

No total, são 16 comércios, instalados nos shoppings Vendôme, Alfonso, Mina India, Uni América, Whu e na galeria Jebai Center.

“No entanto apesar de esses comércios estarem nesta vergonhosa lista, continuam funcionando e logrando descaradamente os turistas”, destaca La Clave.

MODUS OPERANDI

O jornal La Clave informa também que as estatísticas mostram que os comerciantes desonestos têm duas formas principais de enganar os compradores brasileiros, suas principais vítimas.

Na maioria dos casos, o comprador paga por um produto, principalmente eletrônico, mas recebe mercadoria de menor valor, falsificada ou com algum defeito.

Em outros casos, os cartões de crédito ou débito do visitante são saqueados. A cobrança é até três vezes maior do que o combinado. Isso quando não sacam tudo o que o turista tinha na conta.

Um dos “modus operandi” é cobrar bem mais, no cartão. Ou zerar a conta do infeliz comprador. Foto Pixabay

MAIS UMA PRA LISTA

Pelo jeito, a situação não vai mudar, a curto e médio prazos. Falta vontade (ou sobra alguma outra coisa) das autoridades e os comerciantes inescrupulosos continuarão a existir enquanto houver impunidade.

Resta ao brasileiro limitar suas compras a lojas que têm nome a zelar. E não é difícil ter indicações de algumas delas. Aliás, são muitas. As que roubam são minoria, mas deixam a cidade, de fato, com má fama.

Mesmo no Shopping Vendôme, há comerciantes honestos. Mas são prejudicados pelos colegas e vizinhos que não são.

O detalhe é que, na denúncia noticiada pelo ABC Color, a loja citada não está na lista de advertência da Polícia Nacional.

Confira a reportagem do ABC Color:

Turista brasileiro denuncia estafa em comercio de Ciudad del Este

Gostou do texto? Contribua para ampliar o jornalismo em Foz do Iguaçu. ASSINE JÁ

Já escutou o último episódio do GUARÊ, o podcast do H2FOZ. OUÇA AGORA

Claudio Dalla Benetta - H2FOZ

Cláudio Dalla Benetta é jornalista e repórter do H2FOZ. e-mail: [email protected] Veja mais mais conteúdo do autor.

Claudio Dalla Benetta - H2FOZ tem 999 posts e contando. Ver todos os posts de Claudio Dalla Benetta - H2FOZ