Tuítes de assessora da procuradora do Paraguai geram polêmica

Sandra Quiñonez desautorizou publicações da assessora.

A própria procuradora desautorizou as publicações da funcionária.

Houve intensa repercussão dos tuítes da jornalista Élida Favole, assessora da procuradora geral do Paraguai, Sandra Quiñonez, principalmente no Congresso Nacional, informa o jornal Última Hora.

WHATSAPP – Assine a nossa linha de transmissão.

TELEGRAM – Entre em nosso grupo.

Entre os deputados, que discutem um juízo político contra Quiñonez, as publicações foram consideradas uma espécie de coação.

Élida lançou suspeitas contra políticos que querem a saída da procuradora e ainda disse que há áudios que provariam relação entre um ministro e narcotraficantes.

Também pelo Twitter, no entanto, Sandra Quiñonez desautorizou as declarações de Élida Favole e eximiu-se de qualquer responsabilidade por elas.

Além disso, disse que será aberto um processo administrativo “afim de estabelecer as responsabilidades de dita funcionária desta instituição”.

A deputada Kattya González informou que a multibancada não apresentaria nesta quarta-feira um libelo acusatório para o juízo político da procuradora, porque “não existem as garantias para votar livremente”.

O deputado Sebastián Villarejo disse que os tuítes da jornalista constituem uma intimação ao Congresso Nacional por parte de um dos poderes do Estado.

Já a senadora Desirée Masi considerou que a assessora de Quiñonez deve apresentar uma denúncia formal, porque da forma como foi feito ficou parecendo chantagem, disse pelo Twitter.

OS TUÍTES POLÊMICOS

Gostou do texto? Contribua para ampliar o jornalismo em Foz do Iguaçu. ASSINE JÁ

Já escutou o último episódio do GUARÊ, o podcast do H2FOZ? OUÇA AGORA

É proibida a reprodução total ou parcial deste conteúdo sem prévia autorização do H2FOZ.

Claudio Dalla Benetta - H2FOZ

Cláudio Dalla Benetta é jornalista e repórter do H2FOZ. e-mail: [email protected] Veja mais mais conteúdo do autor.