Após pedido, paciente recebe visita de cachorrinha de estimação no Costa Cavalcanti

Internada há 14 dias no Hospital Ministro Costa Cavalcanti (HMCC) e sendo acompanhada pela equipe de cuidados paliativos da instituição, a paciente Rosane de Almeida, de 42 anos, fez um pedido especial à equipe, na semana passada: ela queria ver sua cachorrinha de estimação, a Mel. Com diagnóstico de câncer avançado sem proposta de cura, Rosane teve seu pedido atendido e recebeu a visita na quarta-feira, dia 19.

Tudo foi organizado de surpresa. Como ato de humanização no cuidado e também para trazer conforto e alegria, a equipe de cuidados paliativos, Hope, pediu à paciente quais eram seus últimos desejos. Foi aí que souberam da ligação entre Rosane e a Chow-chow.

A Mel tomou banho e ficou em dia com sua carteira de vacinação.

Rapidamente, os profissionais conversaram com o marido Gilberto e buscaram uma forma de trazer a pet ao hospital. Com autorização do Serviço de Controle de Infecção (SCI), a Mel pôde entrar na instituição.

A coordenadora médica de cuidados paliativos, Dra Ana Paula Romanini, responsável pelo Hope, comenta que a vinda do animal prioriza a humanização do cuidado com o paciente. “Conforto, acolhimento e cuidado, são alguns dos preceitos do cuidado paliativo e, como realização do ‘last wish’, o ‘último desejo’ da paciente, trouxemos a Mel”. Para um reencontro seguro, o animal de estimação tomou banho e ficou em dia com sua carteira de vacinação.

Em êxtase, Rosane não escondeu a emoção ao reencontrar sua cachorrinha e, depois de muito carinho e lambidas, agradeceu a equipe pelo momento. “Eu sempre fui muito bem cuidada aqui e agradeço a cada um por tudo. Não dá pra explicar essa sensação, eu não imaginava. Obrigado por me permitirem reencontrar a Mel”, falou.

Paciente Rosane de Almeida fala sobre o amor pelo pet.

A equipe de cuidados paliativos é responsável por propor um conjunto de práticas de assistência ao paciente com doença ameaçadora da vida, que objetiva a melhora de qualidade de vida do paciente e dos familiares por meio de prevenção e alívio do sofrimento, priorizando o tratamento da dor e demais sintomas físicos, sociais, psicológicos e espirituais. “Nós, enquanto equipe multidisciplinar, recebemos a paciente para auxiliar em seu sofrimento, entendendo essa pessoa como um todo, e que, em conjunto com a equipe médica, mantemos o acompanhamento diário para propor todo cuidado e atenção que a paciente merece nesta fase da vida”, falou Dra. Ana.

Médico oncologista e que acompanha a paciente, Dr. Juliano Afonso Moreira destacou a importância da ação. “Acompanhei as reações e expressões de emoção da Rosane e pude perceber o quão importante foi para ela. Se sentiu totalmente acolhida. Talvez não seja o fato de o animal estar por perto, mas o fato da equipe ter se preocupado com o bem-estar dela”.

A vinda do animal prioriza a humanização do cuidado com o paciente.

Rosane está em cuidados para controle dos sintomas e para aumentar a sua qualidade de vida. “Ela tem dores muito intensas e não consegue ficar em casa por muitos dias. É uma paciente com internações seriadas há cerca de dois meses”, explicou Dr. Juliano.

Depois do reencontro, os profissionais que acompanharam deixaram Rosane e Mel aproveitarem o momento. “Ela está na família há quatro anos, cuido dela desde bebê, então é meu amor”, finalizou Rosane.

Gostou do texto? Contribua para ampliar o jornalismo em Foz do Iguaçu. ASSINE JÁ

error: O conteúdo é de exclusividade do H2Foz.