Covid-19: Saúde informa o fim da emergência sanitária no país

Medida foi adotada há dois anos, com os registros dos primeiros casos da doença - Imagem ilustrativa: Freepik

Capacidade de atendimento pelo Sistema Único de Saúde e cobertura vacinal permitiram a decisão, segundo ministro; mas pandemia não acabou, adverte.

Em pronunciamento oficial pela imprensa nesse domingo, 17, o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, anunciou o fim da emergência de saúde pública pela covid-19. Ele atribuiu a decisão à situação epidemiológica, que no momento apresenta dados favoráveis.

WHATSAPP – Assine a nossa linha de transmissão.

TELEGRAM – Entre em nosso grupo.

Foi possível chegar a esse cenário, segundo o ministro, por conta da capacidade de atendimento do Sistema Único de Saúde (SUS) e da cobertura vacinal. De acordo com Marcelo Queiroga, o detalhamento da medida constará de normativa a ser editada nos próximos dias.
Em sua comunicação pública, o ministro da Saúde enfatizou que a decisão não representa que terminou a pandemia de covid-19.

Continuaremos convivendo com o vírus”, frisou. Ele também disse que o país realizou a “maior campanha de vacinação da sua história”.
A medida do Ministério da Saúde foi motivo de crítica de alguns gestores e pesquisadores que atuam no combate à pandemia no Brasil, que alegam ser cedo para tal decisão, principalmente observando-se o comportamento da doença em outros países. O fim da pandemia, lembra-se, só é decretado pela Organização Mundial da Saúde.

Há dois anos

A declaração de emergência em saúde pública de importância nacional se deu no dia 3 de fevereiro de 2020, o que permitiu uma série de ações em nível nacional, estadual e municipal. O primeiro caso de covid-19 foi confirmado no Brasil no final daquele mês e, em março, reconheceu-se a transmissão comunitária da infecção pelo coronavírus no Brasil.

Até o momento, desde o início da pandemia, são 5,3 milhões de casos de covid-19 e 661 mil mortes atribuídas à doença no país. Cerca 73% dos brasileiros completaram o esquema vacinal contra a covid-19 e 71 milhões receberam a dose de reforço. A vacina contra a covid-19 foi adquirida pelo Ministério da Saúde e entregue para estados e municípios aplicarem.

Há 29.227.051 pessoas que se recuperaram da doença, o que representa 96,6% dos infectados. Há ainda 363.607 casos em acompanhamento.

Gostou do texto? Contribua para ampliar o jornalismo em Foz do Iguaçu. ASSINE JÁ

Já escutou o último episódio do GUARÊ, o podcast do H2FOZ? OUÇA AGORA

É proibida a reprodução total ou parcial deste conteúdo sem prévia autorização do H2FOZ.

Paulo Bogler - H2FOZ

Paulo Bogler é jornalista e repórter do H2FOZ. e-mail: [email protected] Veja mais mais conteúdo do autor.