Grupo de trabalho debate determinantes da saúde na fronteira

Influência da vida econômica, social, ambiental, política e cultural foi analisada no encontro, que teve 150 participantes.

Apoie! Siga-nos no Google News

Criado para discutir políticas públicas na fronteira entre Brasil, Paraguai e Argentina, o Grupo de Trabalho Itaipu Saúde (GT Itaipu Saúde) promoveu, na terça-feira (5), o Encontro sobre Determinantes Sociais em Saúde, que contou com mais de 150 participantes dos três países da região.

Leia também:
Audiência em Foz do Iguaçu aponta ações para uso medicinal da Cannabis

Projeto propõe apoio a gestantes para reduzir mortalidade infantil em Foz

Conforme informação distribuída pela assessoria, “determinantes sociais são um conjunto de acontecimentos e fatos da vida econômica, social, ambiental, política e cultural que afetam, positiva ou negativamente, a saúde de indivíduos, segmentos sociais, coletividades, populações e territórios”.

Em sua fala na abertura do evento, Kleber Vanolli, coordenador suplente do GT Itaipu Saúde e gerente da Divisão de Iniciativas de Responsabilidade Social da margem esquerda da Itaipu Binacional, destacou que a visão de saúde não deve ser apenas da doença, mas da prevenção e outras ações.

“Nos três países nós temos uma série de situações de desigualdade que prejudicam o acesso à saúde ou que são estímulos para o desenvolvimento de doenças. Então, tudo que será discutido no evento é o início para, depois, se tornarem políticas públicas que transformarão a realidade que temos”, apontou.

Presente no encontro, a diretora de Promoção da Saúde do Ministério da Saúde, Katia Souto, ressaltou que “temos que pensar nas desigualdades sociais que temos para promovermos o acesso à saúde a todos. É um grande desafio no qual o Ministério da Saúde está cada vez mais atuante”.

A programação incluiu mesas-redondas com os temas “Bases conceituais de determinantes sociais de saúde”, “Ensinando a nova saúde pública” e “Determinantes sociais para a realidade de fronteira”, com representantes dos três países. Houve também a apresentação de trabalhos e o compartilhamento de experiências bem-sucedidas.

Balanço

O evento foi o último promovido pelo GT Itaipu Saúde em 2023. Desde janeiro, o colegiado de membros e as comissões técnicas tiveram sete encontros, além de realizarem mais de 110 reuniões presenciais, on-line e híbridas para construção, planejamento, alinhamento e execução de projetos.

O balanço também indica que foram cerca de US$ 200 milhões investidos e quatro projetos executados, além de outros sete que estão em execução. Os trabalhos envolveram 1,7 mil gestores, profissionais e técnicos da saúde, educação, ação social, trânsito, docentes, acadêmicos e agentes comunitários dos três países. Outra ação destacada foi a reativação da Comissão Técnica de Saúde Indígena.

“Esse ano foi bastante produtivo e gratificante, e esperamos que o ano de 2024 seja ainda mais frutífero, pois daremos início à construção do planejamento estratégico do GT Itaipu Saúde, em parceria com a Organização Pan-Americana da Saúde e o Ministério da Saúde”, revelou a gerente do GT Itaipu Saúde no Hospital Ministro Costa Cavalcanti (HMCC), Paula Zvir.

(Com informações da assessoria)

LEIA TAMBÉM