Hospital Municipal promove conscientização sobre doar órgãos em Foz do Iguaçu

Ação integra a campanha Setembro Verde, a qual fortalece a mensagem de que o ato de solidariedade salva vidas.

Apoie! Siga-nos no Google News

O Hospital Municipal Padre Germano Lauck realiza ações durante o mês para conscientizar sobre a doação de órgãos. A instituição em Foz do Iguaçu aderiu à campanha Setembro Verde, a qual fortalece a mensagem de que esse ato de solidariedade salva vidas.

LEIA TAMBÉM:
Escola Alternativa convida para macarronada em prol de projetos educativos em Foz
Ajude cães e gatos. Participe do bazar da ONG Vida Animal

A iniciativa é da Comissão Intra-Hospitalar de Doação de Órgãos e Tecidos para Transplante (CIHDOTT). Entre as atividades, está o uso das redes sociais, como o filtro no Instagram, para incentivar que as pessoas se declarem doadoras e avisem a suas famílias da escolha.

“Sou doador(a) de órgãos. E você? Já avisou sua família?”, traz o slogan do conteúdo digital (clique aqui). Isso porque, para ser doador, basta avisar a família, ratifica a Comissão de Humanização do equipamento de saúde.

“O sentido maior do Setembro Verde é reforçar a importância deste gesto”, expõe o diretor-presidente da Fundação de Saúde, Dr. André Di Buriasco, que administra o Hospital Municipal. “Esse ato de amor pode garantir qualidade de vida a centenas de pessoas que aguardam na fila de espera dos transplantes”, pontua.

Doar órgãos

Para ser doador de órgãos, é necessário deixar expresso esse desejo à família, pois somente ela poderá autorizar o procedimento. “Não há documentos em vida que permitam a captação de órgãos sem autorização dos familiares em caso de morte encefálica”, informa a Agência Municipal de Notícias (AMN).

São dois tipos de doadores:

  • doador vivo: qualquer pessoa que concorde com a doação, sem prejudicá-la, pode doar rim ou parte do fígado, medula óssea ou pulmão, por exemplo. Nesse caso, segundo a legislação, parentes até o quarto grau e cônjuges podem ser doadores. Não parentes precisam de autorização judicial, e menores de 21 anos necessitam da liberação emitida pelos responsáveis, instrui a AMN.
  • doador falecido: paciente com morte encefálica, geralmente vítima de catástrofes cerebrais, como traumatismo craniano ou AVC (derrame cerebral), após comprovação médica.
Campanha de doação de órgãos nas redes do Municipal – arte: reprodução
LEIA TAMBÉM

Comentários estão fechados.