Abertura da fronteira argentina será só para turistas

Protocolo não prevê a abertura para os vizinhos. Talvez numa próxima etapa. Foto Cohen.Canada (Flickr)

É o que prevê um esboço do protocolo que será apresentado por Misiones ao governo do país.

Deve começar assim a reabertura da fronteira Puerto Iguazú-Foz do Iguaçu: poderão entrar por dia 800 turistas estrangeiros (presume-se: brasileiros e talvez paraguaios) e mil argentinos que estão em outros países e pretendem reingressar a seu país.

WHATSAPP – Assine a nossa linha de transmissão.

TELEGRAM – Entre em nosso grupo.

A notícia foi publicada pelo portal Misiones On Line, com a ressalva: “Estes pontos podem sofrer modificações, segundo informaram do governo provincial, as quais serão informadas nos próximos dias”.

Mas a fronteira não estará aberta para iguaçuenses. O trânsito vicinal fronteiriço continuará vetado. “A autorização para circular será unicamente com fins turísticos e gastronômicos”, diz o portal.

Pelo protocolo apresentado, será exigido o teste de PCR negativo para covid-19, com menos de 48 horas de antecedência, e que o visitante tenha sido vacinado com ao menos uma dose.

O Centro de Saúde que está sendo montado em Puerto Iguazú poderá ser utilizado pelas pessoas que não fizeram o teste antecipado.

Os turistas que derem positivo para covid-19 deverão cumprir o isolamento estabelecido pelas autoridades sanitárias, nos hotéis onde têm reserva. Isso vale também para os argentinos de volta ao país. Nesses casos, os gastos correrão por conta de quem tiver que fazer o isolamento.

Os argentinos que saírem do país pela fronteira com Foz e voltarem dentro de 24 horas, terão que registrar o o PCR negativo para covid, para evitar que seja solicitado um novo teste no regresso.

COM O PARAGUAI, NÃO

Em sua conta no Twitter, noticia ainda o Misiones on Line, o governador de Misiones, Oscar Herrera Ahuad, desmentiu que será reaberta a Ponte Internacional San Roque González de Santa Cruz, que liga Posadas a Encarnación, no Paraguai.

“A postura do governo provincial é a de manter a segurança sanitária, por isso não está na agenda próxima solicitar sua abertura à nação”, disse o governador.

Segundo ele, as razões para não reabrir a fronteira com o Paraguai se fundamentam em recomendações internacionais: “Manter o equilíbrio epidemiológico e a atividade produtiva de nossa região. As recomendações internacionais continuam sendo ‘menor mobilidade, menos transmissão da enfermidade'”, postou.

A questão econômica é, talvez, a de maior peso. O fechamento da fronteira com o Paraguai, para onde iam em massa fazer compras os argentinos, permitiu que a província conseguisse reativar as diferentes atividades econômicas, sem descuidar da saúde pública, segundo Misiones on Line.

O crescimento do nível de emprego em Misiones, por exemplo, foi o mais alto de todo o país.

A exceção é Puerto Iguazú, que depende muito da vinda de turistas estrangeiros, por isso há interesse do governo da província para que seja reaberta a fronteira com Foz do Iguaçu.

Gostou do texto? Contribua para ampliar o jornalismo em Foz do Iguaçu. ASSINE JÁ

Já escutou o último episódio do GUARÊ, o podcast do H2FOZ? OUÇA AGORA

É proibida a reprodução total ou parcial deste conteúdo sem prévia autorização do H2FOZ.

Claudio Dalla Benetta - H2FOZ

Cláudio Dalla Benetta é jornalista e repórter do H2FOZ. e-mail: [email protected] Veja mais mais conteúdo do autor.