As eleições

Prof. José Afonso de Oliveira  | OPINIÃO

Agora já estamos muito mais próximos das eleições. A campanha política segue nos meios de comunicação social de massa, há entrega de materiais impressos nas residências e para as pessoas nas ruas, igualmente temos bandeirolas em cruzamentos da cidade.

Tudo isso faz parte, mas importante mesmo é estarmos atentos às propostas que estão sendo feitas, pois isso é o essencial para podermos ter um poder público que possa atender às necessidades da maioria dos cidadãos.

Além disso temos de pensar na cidade com uma visão de futuro, afinal estamos no centro da América do Sul, numa porta de entrada do Mercosul, o que indica a importância estratégica da cidade. E isso, claro, precisa ser muito bem aproveitado. Projetos, planos de interligação envolvendo os governos federal e estadual, bem como organismos internacionais de fomento, a exemplo do Banco Mundial, devem estar na pauta de prioridades do poder público, ou seja, do nosso prefeito.

Mas é preciso também contextualizar a crise da pandemia, aliada à questão da queda na economia, para promover uma ação eficaz junto com o setor privado, de sorte a poder gerar novos empregos que possam absorver todo esse contingente que agora está desempregado.

Desenvolver o setor cultural, pois tem também um bom impacto econômico, é gerador de empregos e é necessário para uma cidade de perfil de prestação de serviços nos segmentos de hotelaria e turismo.

Abrir novas perspectivas nas áreas de meio ambiente, especialmente com a melhor utilização do Parque Nacional do Iguaçu como uma área de estudos, a céu aberto, propiciando todo um envolvimento de universidades, nacionais e estrangeiras, tanto quanto ONGs, que vão permitir um grande e bom fluxo de pessoas na cidade por períodos mais longos de tempo.

Abrir perspectivas em conjunto com os empresários locais, com as associações de classe e, de uma forma muito especial, com as universidades para a realização de estudos, pesquisas e apresentação de novos projetos para o atendimento de várias demandas que vão surgindo, sinalizando assim uma nova e moderna forma de atuação do poder público, condizente com os dias atuais.

* José Afonso de Oliveira é professor e sociólogo em Foz do Iguaçu.
________________________________

Este texto é de responsabilidade do autor/da autora e não reflete necessariamente a opinião do H2FOZ.

Quer divulgar a sua opinião. Envie o seu artigo para o e-mail [email protected]

Alexandre Palmar

Repórter e Editor do H2FOZ e-mail: [email protected] Mais por Alexandre Palmar

error: O conteúdo é de exclusividade do H2Foz.