Reitoria emite nota sobre binacionalização da Unila

Segundo a instituição, discussão atual envolve a criação de instituto entre Brasil e Paraguai, com foco na internacionalização.

Apoie! Siga-nos no Google News

A reitoria da Universidade Federal da Integração Latino-Americana (Unila) emitiu, nessa terça-feira (19), nota oficial sobre as discussões quanto à binacionalização da instituição, que tem sede em Foz do Iguaçu.

Leia também:
Opinião: “Futuro incerto: Unila binacional, internacional ou fronteiriça?

Conforme o texto, o que está em pauta, no atual momento, “é a constituição de um Grupo de Estudos para analisar a viabilidade de um projeto para criação de instituto de caráter cooperativo e interinstitucional, entre Brasil e Paraguai”.

Na última segunda-feira (18), o H2FOZ reproduziu artigo de opinião, do sociólogo Renato Martins e da antropóloga Danielle Araújo, expressando preocupação quanto ao futuro da universidade (clique aqui para ler o texto).



Confira, abaixo, a íntegra da nota da reitoria:

Prezada comunidade acadêmica da UNILA,

A ideia de um projeto de Universidade Binacional já está superada, e o que está posto é a constituição de um Grupo de Estudos para analisar a viabilidade de um projeto para criação de instituto de caráter cooperativo e interinstitucional, entre Brasil e Paraguai, desenvolvido pela UNILA e pelo MEC. Uma iniciativa que está em consonância com a proposta fundacional de internacionalização da Universidade, via integração solidária com países vizinhos.

O estudo da viabilidade deste instituto será proposto por meio de Grupo de Trabalho (GT). Embora a participação neste GT do MEC seja institucional, isso não exclui, de forma alguma, a ampla participação das comunidades interna e externa à Universidade, via fóruns de debate e outras formas de diálogo, a serem organizadas à medida que se iniciarem os trabalhos. O GT não possui função deliberativa, somente propositiva, e a decisão sobre a criação do instituto binacional caberá às instâncias superiores do MEC e do Conselho Universitário da UNILA.

A Portaria nº 43, de 14 de dezembro de 2023, publicada no DOU nesta segunda-feira, 18 de dezembro, será retificada, com a exclusão da obra do campus Niemeyer como assunto a ser tratado pelo GT, visto que a retomada do campus Niemeyer já está em avançado procedimento de formalização e investimentos com a Unops/ONU (Escritório das Nações Unidas de Serviços para Projetos), possuindo convênio próprio, com interveniência do MEC, cujos detalhes serão publicados em breve no site institucional.

É fundamental reafirmar que a proposta de criação deste instituto vai ao encontro dos objetivos da UNILA, reafirmando os princípios basilares de nossa Política de Pesquisa e Pós-Graduação, assim como seu próprio Estatuto, Regimento e Lei de Criação da Universidade, voltada a integrar e constituir, na Tríplice Fronteira, polos de ensino, pesquisa e extensão avançados e em rede, com articulações nacionais e internacionais.

A Reitoria da UNILA reitera seu compromisso com a autonomia universitária e com a transparência. A emissão de qualquer comunicado exige informações seguras dos órgãos oficiais da educação superior, com a devida responsabilidade que cabe à gestão máxima da Universidade. Nesse sentido, orienta-se que a comunidade acadêmica informe-se por canais oficiais, ajudando a combater notícias e matérias inverídicas sobre o tema. E reafirma sua intenção de fomentar os diálogos e a construção coletiva, para aprofundar o nosso projeto internacionalista de Universidade.

Para ler a nota na página oficial da Unila, clique aqui.

LEIA TAMBÉM