Agência paraguaia oferece pacote turístico a brasileiros vítimas de extorsão policial

O casal de turistas de São Paulo Matheus Mangiocca e Julia de Lima Venancio, sequestrado por policiais paraguaios que exigiam um resgate de R$ 25 mil, está sendo procurado pelas redes sociais por uma agência de turismo do Paraguai, informa o jornal La Nación, com base em reportagem do canal GEN.

A StayPy oferece ao casal uma estadia totalmente gratuita, para “mostrar-lhes o verdadeiro Paraguai, hospitaleiro, de gente bondosa, generosa e, sobretudo, de gente honesta”, explicou André Gayol, representante da empresa.

“Quando vimos a notícia (da extorsão) isso nos atingiu fortemente, porque com a plataforma (StayPy) estávamos tratando, há cinco anos, de promover o Paraguai como um destino turístico e posicioná-lo entre paraguaios e estrangeiros”, afirmou.

Ele disse que as agências de turismo sabem que o Paraguai não é um ícone turístico a nível mundial, e que uma situação como esta, protagonizada por agentes policiais, reverte todo o esforço feito ao longo do tempo.

“Sentimos uma impotência muito grande, ainda mais porque policiais, que devem velar pela nossa segurança e dos turistas, sejam sequestradores e chantagistas”, lamentou.

André contou que a empresa lançou uma campanha nas redes sociais e procurou a promotoria para conseguir uma maneira de entrar em contato com o casal para oferecer o pacote turístico.

Ele disse ainda que várias empresas do setor têm interesse de procurar o casal para oferecer alguma forma de compensação pelo que passou, mas “creio que estamos mais perto e esperamos dar-lhe este presente”, disse.

Para André, o caso prejudicou não apenas o turismo, mas todo o país.

Para lembrar: Matheus e Julia viajavam pelo Paraguai, de carro, desde 6 de janeiro. Na segunda-feira, dia 18, estavam de volta a Ciudad del Este, para retornar a São Paulo. Quando passaram pelo posto policial de Torín, a 100 km da fronteira, foram abordados por agentes, que deteve o jovem porque o documento do veículo era apenas digital.

Depois, sob ameaças de que poderiam prender por tráfico de drogas ou outras acusações, exigiram R$ 55 mil de resgate. Com os familiares, o casal conseguiu R$ 25 mil, depositados numa conta do Banco do Brasil, que poderiam ser retirados em Foz.

Na terça-feira, 19, depois de passar a noite detidos, Matheus e Julia, acompanhados pelos policiais, vieram a Ciudad del Este. Dali, um policial chamou um táxi, para que a jovem viesse a Foz retirar o dinheiro.

No entanto, deu tudo errado pros criminosos. No banco, informaram que pra sacar uma quantia tão alta seria preciso ter informado antes. Nervosa, Julia acabou contando aos seguranças o que ocorria. A polícia interveio e entrou em contato com a polícia de Ciudad del Este.

Resultado, até agora: a prisão de quatro agentes policiais e do comissário principal da delegacia de Torín,
Alcides Velázques. E mais investigações para saber se há outros envolvidos no sequestro e extorsão do casal.

Leia mais:

Ministro paraguaio classifica como vergonha sequestro de turistas brasileiros pela polícia

Gostou do texto? Contribua para ampliar o jornalismo em Foz do Iguaçu. ASSINE JÁ

Já escutou o último episódio do GUARÊ, o podcast do H2FOZ? OUÇA AGORA

Claudio Dalla Benetta - H2FOZ

Cláudio Dalla Benetta é jornalista e repórter do H2FOZ. e-mail: [email protected] Veja mais mais conteúdo do autor.

Claudio Dalla Benetta - H2FOZ tem 1047 posts e contando. Ver todos os posts de Claudio Dalla Benetta - H2FOZ