Argentina: em carta, Javier Milei diz querer trabalhar com o Brasil

Convite para que Lula prestigie a posse foi entregue ao ministro das Relações Exteriores, Mauro Vieira, pela futura chanceler Diana Mondino.

Apoie! Siga-nos no Google News

Escolhida pelo presidente eleito da Argentina, Javier Milei, para comandar o Ministério das Relações Exteriores, a economista Diana Mondino esteve em Brasília, neste domingo (26), para reunião com o ministro Mauro Vieira. No encontro, Mondino entregou uma carta escrita por Milei, endereçada ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Leia também:
Argentina: veja quem são os ministros indicados por Javier Milei

No documento, Milei ressalta a importância das relações bilaterais e deseja que “nosso tempo juntos como presidentes e chefes de governo seja uma etapa de trabalho frutífero e de construção de laços que consolidem o papel que Argentina e Brasil podem e devem desempenhar no concerto das nações”.

“Sabemos que os nossos países estão intimamente ligados pela geografia e pela história e, com base nisso, queremos continuar a partilhar áreas de complementaridade”, escreve o futuro presidente argentino, que tomará posse no dia 10 de dezembro.

A reunião entre Mondino e Vieira teve a participação do embaixador da Argentina no Brasil, Daniel Scioli, e do embaixador do Brasil em Buenos Aires, Julio Bitelli.

O tom crítico de Milei em relação ao governo brasileiro e ao Mercosul, presente durante grande parte da campanha, foi substituído por moderação. Em declarações reproduzidas pela Agência Brasil, Mauro Vieira ressaltou que o que vale são as manifestações formais, havendo vontade dos dois países em fazer o bloco avançar.

“Conversamos, por exemplo, sobre a possibilidade dos corredores bioceânicos, falamos das negociações externas do Mercosul, falamos também sobre a ampliação e aprofundamento das decisões do Mercosul, tema em que temos coincidência, porque queremos um Mercosul maior e melhor para beneficiar a integração regional”, afirmou.

“Eu indiquei a ela em que áreas e com que outros países e outras regiões estamos negociando. Ela manifestou satisfação em saber. Para mim o que vale é isso. Nós vamos trabalhar juntos com este governo até o final do mandato e depois com o novo governo, sabendo que há esse desejo de avançar no Mercosul”, complementou Vieira.

Diana Mondino oficializou, ao ministro brasileiro, o convite para que Lula prestigie a posse de Javier Milei. A presença do chefe de Estado brasileiro, contudo, é vista como improvável. “Ele estará chegando de uma longa visita ao exterior e terá a cúpula do Mercosul no Brasil”, justificou o chanceler, negando mal-estar ou constrangimento.

LEIA TAMBÉM