Após reajuste, argentinos vão ao Paraguai para abastecer

Movimento já começa a ser percebido em locais como a fronteira entre Posadas (Argentina) e Encarnación (Paraguai).

Apoie! Siga-nos no Google News

Depois de vários anos com filas de motoristas paraguaios nos postos de combustíveis argentinos, o movimento está começando a fluir no sentido inverso, em locais como a fronteira entre Posadas (Argentina) e Encarnación (Paraguai).

Leia também:
Reajuste de março: veja os novos preços da gasolina em Puerto Iguazú

Em reportagem publicada na última terça-feira (5), o portal Misiones Online destaca que, desde o reajuste de 7,5% aplicado na Argentina no início do mês, já é habitual ver motoristas de Posadas abastecendo nos postos de Encarnación.

A procura ainda não é intensa, sendo composta por argentinos que vão ao Paraguai e aproveitam para abastecer. A cena, porém, vem atraindo os olhares dos moradores da cidade paraguaia, que se habituaram, durante anos, a encher o tanque na Argentina.

Segundo o Misiones Online, o litro da gasolina Nafta Súper, em Posadas, custa P$ 952. Já a gasolina Nafta Infinia, aditivada, é vendida a P$ 1.143.

No lado paraguaio, nos postos Petropar, é possível encontrar combustíveis similares a P$ 878 (Nafta Oikoite 93) e P$ 1.071 (Nafta Aratirí 97).

A diferença poderá aumentar nos meses de abril e maio, quando estão previstas duas novas parcelas de reoneração de impostos sobre os combustíveis na Argentina. Outro complicador é a provável nova desvalorização da cotação oficial do peso argentino, que já está sendo analisada pela equipe econômica do presidente Javier Milei.

Na fronteira entre Puerto Iguazú, Foz do Iguaçu, Ciudad del Este e Presidente Franco, o fluxo de argentinos abastecendo nos países vizinhos é insignificante, uma vez que o preço da gasolina em Iguazú segue ligeiramente mais baixo que em Foz e com pouca diferença em relação ao praticado nos postos do Paraguai.

LEIA TAMBÉM

Comentários estão fechados.