Gato-maracajá morre atropelado no lado argentino da fronteira

Animal foi atingido enquanto atravessava a Rodovia Nacional 12, a poucos metros do Centro de Reabilitação Güirá Oga, em Puerto Iguazú.

Apoie! Siga-nos no Google News

Funcionários do Aeroporto Internacional de Puerto Iguazú encontraram, na manhã de domingo (23), um gato-maracajá atropelado na Rodovia Nacional 12, nas proximidades do Centro de Reabilitação e Reprodução de Animais Güirá Oga. O achado ocorreu no momento em que o grupo seguia para o trabalho, no início do dia.

Leia também:
Idiotismo cultural mantém acesa a chama da caça no Parque Nacional do Iguaçu

De acordo com informações repercutidas pela imprensa de Puerto Iguazú, funcionários do Güirá Oga foram imediatamente acionados, mas nada puderam fazer para salvar o felino, atingido por um veículo (ainda não identificado) quando atravessava a via.

Chamado de gato margay na Argentina, o gato-maracajá (Leopardus wiedii) é típico da região de fronteira, habitando matas de características subtropicais no Brasil, Paraguai e Argentina. A espécie está bem adaptada, também, ao bioma amazônico, estendendo sua presença até parte da América Central.

O atropelamento de felinos e outros mamíferos, além de répteis e anfíbios, é frequente nas rodovias nacionais 12 e 101, que cortam o Parque Nacional Iguazú e outras unidades de proteção ambiental no lado argentino da fronteira. A principal causa é o excesso de velocidade dos motoristas no trecho, que tem áreas com limites de 40km/h e 60km/h.

LEIA TAMBÉM

Comentários estão fechados.