Itaipu, usina que redesenhou a fronteira, completa 50 anos

Sociedade entre Brasil e Paraguai para a construção da hidrelétrica do Rio Paraná foi instituída em 17 de maio de 1974.

Apoie! Siga-nos no Google News

Criada pelos governos de Brasil e Paraguai, em 17 de maio de 1974, Itaipu Binacional, empresa que administra a usina, está completando, nesta sexta-feira (17), seu aniversário de 50 anos, com uma cerimônia simbólica na parte central da barragem.

Leia também:
Show gratuito dos 50 anos de Itaipu será no domingo (19) – saiba mais

Participam do evento diretores, funcionários, autoridades e convidados. Já a festa principal no lado brasileiro, aberta ao público, será na noite de domingo (19), no Gramadão, com apresentação de dança do grupo LightWire e show do cantor Jão.

No auge da construção, 40 mil operários trabalharam ao mesmo tempo no canteiro da hidrelétrica. Foto: Acervo Histórico/Itaipu Binacional
No auge da construção, 40 mil operários trabalharam ao mesmo tempo no canteiro da hidrelétrica. Foto: Acervo Histórico/Itaipu Binacional

“Itaipu é um sonho de integração que se tornou realidade. Pelo empenho de brasileiros e paraguaios, ela fornece energia, move dois países e cuida da natureza e das pessoas de sua área de influência como nenhuma outra no mundo. Há meio século, é um exemplo de que isso é possível”, afirmou o diretor-geral brasileiro, Enio Verri, citado pela assessoria.

O nascimento da binacional, em 17 de maio de 1974, foi marcado pela posse dos membros do Conselho de Administração e da diretoria, em ato no Hotel das Cataratas, em Foz do Iguaçu. Já a primeira reunião do conselho ocorreu em Assunção em junho.

A construção de Itaipu redesenhou a geografia física da fronteira, com o represamento do Rio Paraná no trecho de 180 quilômetros entre Foz e Guaíra; e a geografia humana, com o crescimento das cidades, provocado pela chegada de mais de 40 mil trabalhadores.

Em Foz do Iguaçu, foram erguidas as vilas residenciais A, B e C, além de estruturas como o Hospital de Itaipu (atual Costa Cavalcanti) e o Colégio Anglo-Americano, entre outras edificações. No Paraguai, urbanismo similar foi adotado nas cidades de Hernandarias (sede da usina), Ciudad del Este e Presidente Franco.

Foz do Iguaçu pulou de menos de 30 mil habitantes para mais de 140 mil uma década após o início da construção da usina. Foto: Acervo Histórico/Itaipu Binacional
Foz do Iguaçu pulou de menos de 30 mil habitantes para mais de 140 mil uma década após o início da construção da usina. Foto: Acervo Histórico/Itaipu Binacional

A formação do lago de Itaipu ocorreu em outubro de 1982. Em maio de 1984, a hidrelétrica começou a gerar energia. A conclusão do projeto original, com 18 turbinas, foi feita em 1991. Nos anos 2000, duas novas unidades geradoras foram instaladas.

Atualmente, Itaipu está passando por um processo de modernização, que deverá durar até 2036. O objetivo é manter os índices de disponibilidade das máquinas e eficiência em produção de energia, frequentemente listados entre os mais altos do continente.

Sessão solene

Os 50 anos de Itaipu foram lembrados, nessa quinta-feira (16), durante sessão solene da Câmara dos Deputados, em Brasília. Os dois diretores-gerais, Enio Verri (Brasil) e Justo Zacarías Irún (Paraguai), prestigiaram a homenagem.

A sessão foi presidida pela deputada paranaense Gleisi Hoffman, que atuou como diretora-financeira de Itaipu entre 2003 e 2006.

Pessoa jurídica internacional, Itaipu pertence, em partes iguais, à Empresa Brasileira de Participações em Energia Nuclear e Binacionais (ENBPar) e à Administração Nacional de Eletricidade (Ande) do Paraguai.

LEIA TAMBÉM

Comentários estão fechados.