Usina de Itaipu fecha vertedouro após 11 dias de escoamento

Abertura foi necessária para dar vazão ao excedente de água no lago; fluxo nos rios da fronteira está retornando aos patamares normais.

Apoie! Siga-nos no Google News

Itaipu Binacional anunciou, para este domingo (12), o fechamento total do vertedouro da barragem, após onze dias de escoamento do excedente de água no lago de Itaipu. Com as calhas fechadas, o fluxo do Rio Paraná volta a passar integralmente pelas turbinas.

Leia também:
Itaipu troca de calha aberta no vertedouro – veja as imagens
Energia produzida por Itaipu já supera o total de 2022

Segundo o superintendente de Operação da Itaipu, Rodrigo Pimenta, “a usina operou o vertedouro de forma a garantir a segurança da barragem e contribuir para mitigar o impacto das cheias na fronteira com o Paraguai, parte mais afetada pelas chuvas”.

A abertura das comportas, por exemplo, foi feita em paralelo à redução da cheia do Rio Iguaçu. Em seu auge, o afluente chegou a represar parcialmente o Rio Paraná no trecho entre o Marco das Três Fronteiras e a Ponte da Amizade, afetando cerca de 500 residências na margem paraguaia do Paranazão.

O trabalho foi monitorado pela Comissão Especial de Cheias (CEC), grupo formado por profissionais brasileiros e paraguaios, de diferentes áreas de Itaipu, encarregado de adotar estratégias para o controle da situação.

Calha da direita (conforme o fluxo do rio) exige menos volume de água para garantir o vertimento com segurança. Foto: Rafa Kondlatsch/Itaipu Binacional
Na sexta-feira (10), Itaipu trocou de calha para diminuir a vazão do vertedouro. Foto: Rafa Kondlatsch/Itaipu Binacional

Não há previsão de nova data para a reabertura do vertedouro, que é acionado somente quando há água em excesso no lago de Itaipu. Em 2023, as comportas foram abertas em três ocasiões, tendo como parâmetro a garantia da segurança da estrutura.

LEIA TAMBÉM

Comentários estão fechados.