Vidas salvas: Hospital Costa Cavalcanti supera o número de 100 altas da covid-19

O Hospital Ministro Costa Cavalcanti (HMCC), mantido pela Itaipu Binacional, superou o número de 100 altas da covid-19, nesta sexta-feira (11) – mais de cinco meses depois do primeiro internamento. Além de pacientes de Foz do Iguaçu, o HMCC recebeu pacientes de outras cidades da 9ª Regional de Saúde do Paraná, de outros Estados e também do Paraguai.

A UTI da ala respiratória (covid-19) conta hoje com 25 leitos, além de dois de terapia semi-intensiva e 20 leitos na Unidade de Transição. Segundo o coordenador médico German Pignolo, o trabalho multidisciplinar entre as equipes da ala covid-19 é responsável por este bom número de altas. “Ficamos felizes com os resultados da equipe, que só obtivemos graças aos esforços dos profissionais e também da diretoria do HMCC e da nossa mantenedora, a Itaipu”, afirmou.

Os pacientes internados passam, em média, de sete a 21 dias na UTI. “Nos últimos 15 dias temos verificado um aumento considerável no número de pacientes internados, é como se estivéssemos enfrentando uma segunda onda”, lembrou Pignolo, comparando ao período dos meses de julho e agosto, quando os índices da covid-19 na região estavam em alta.

Para o coronel Jorge Aureo, assistente do diretor-geral brasileiro de Itaipu e coordenador do Grupo de Trabalho Estratégico da Covid de Itaipu, “esses dados traduzem em números os esforços da gestão do general Joaquim Silva e Luna no combate à doença, com investimentos vultuosos para cuidar da nossa gente. Um trabalho em consonância com as diretrizes do governo Bolsonaro.” 

Plasma hiperimune 

Pedro Matias de Araújo, primeiro internado em Foz do Iguaçu e região a receber o plasma hiperimune – Foto: Eduardo Diniz

Um dos pacientes a deixar o HMCC nesta sexta-feira, recuperado da covid-19, foi Pedro Matias de Araújo. Ele foi o primeiro internado em Foz do Iguaçu e região a receber o plasma hiperimune, que auxilia na recuperação da doença. Pedro ficou 17 dias na UTI e seu estado de saúde era considerado grave.

“Fizemos a indicação do plasma e o paciente evoluiu favoravelmente, sem precisar ser entubado”, comentou German. “Ele teve uma boa evolução clínica e, junto com a equipe de fisioterapia, enfermagem e técnicos, conseguimos dar alta”, contou.

Na saída, Pedro foi recebido com festa. “Aqui está representada a família e os amigos, que preparam uma surpresa. Eu não tinha condições, só pensava na alta dele, e é com muito carinho que todos o recebem”, disse a esposa, Ana Cristina. “Nós passamos por muita coisa e hoje é um momento de vitória, de agradecimento”, contou.

Ao se despedir da equipe médica, Pedro agradeceu pelo cuidado recebido. “Muito obrigado a todos. A luta continua, mas já podemos agradecer”, disse ele, emocionado. 

Pacientes 

Pela UTI Covid-19 do HMCC já estiveram internados pacientes desde recém-nascidos a uma senhora, de 94 anos. Os casos, na maioria, eram considerados graves e necessitaram de assistência respiratória mecânica. Entre as comorbidades preexistentes nestes pacientes estavam diabetes, hipertensão, doença pulmonar obstrutiva crônica, tabagismo e infarto, entre outras. A unidade atendeu também duas pessoas que haviam passado por transplante renal.

“Atendemos aqui pacientes complexos, então foi preciso um bom trabalho em equipe, recursos e equipamentos para que todos pudessem ser atendidos”, finalizou German.

A Itaipu e o HMCC

A Itaipu Binacional realocou recursos na ordem de R$ 24 milhões contra a covid-19. Desse total, R$ 15 milhões foram destinados à criação da ala exclusiva para tratamento de pacientes graves da doença no HMCC.

Parte dessa verba também foi direcionada para a compra de insumos e medicamentos das regionais de saúde nos municípios localizados na área de abrangência da usina, no Oeste do Paarná. A empresa ainda reservou R$ 5,5 milhões a entidades assistenciais da região, que atuam diretamente no auxílio à população mais carente.

Para o diretor superintendente do HMCC, Fernando Cossa, graças à verba destinada pela Itaipu o Costa Cavalcanti teve condições de estruturar uma ala com os melhores equipamentos disponíveis. 

“Sempre atentos às mais recentes novidades, fomos sempre conseguindo os melhores insumos e medicamentos para oferecer aos nossos pacientes”. Ele lembrou ainda da intensificação dos treinamentos para mil profissionais. “Com isso conseguimos proporcionar um estrutura diferenciada para fazer um belo trabalho”, finalizou.

Alexandre Palmar

Repórter e Editor do H2FOZ e-mail: [email protected] Mais por Alexandre Palmar

error: O conteúdo é de exclusividade do H2Foz.