Número de internamentos por covid-19 segue alto em Foz e pressiona rede hospitalar

Quantidade de jovens que chegam ao hospital em situação grave também preocupa serviço de saúde.

Embora o número de mortes por covid-19 em Foz do Iguaçu tenha caído, em relação a março e abril, os dois meses em que ocorreram mais óbitos pela doença no município, as condições epidemiológicas preocupam o serviço de saúde. O Comitê de Enfrentamento à Covid-19 avaliou o quadro na sexta-feira, 7.

A média móvel dos casos confirmados de covid-19, na sexta-feira, foi 58% maior em comparação à semana anterior. Houve aumento em todos os canais de atendimento a casos suspeitos da doença no município, e o mesmo ocorreu com o registro de ocorrências graves da doença no Hospital Municipal, na UPA Dr. Walter Cavalcante Barbosa e nas unidades de saúde que atendem pacientes infectados pelo novo coronavírus.

O total de internamentos por covid-19 segue elevado. “Embora a redução de mortes tenha sido expressiva, o número de internamentos se mantém em 130, 140 por semana. Essa pressão hospitalar não diminui”, informou o gerente da Vigilância Epidemiológica, Roberto Doldan, por meio da Agência Municipal de Notícias (AMN).

O diretor do Hospital Municipal, Sérgio Fabriz, ressaltou que houve piora na semana passada na taxa de ocupação hospitalar e na gravidade do estado dos pacientes. Outra preocupação é quanto ao número de jovens que chegam ao hospital em condições agravadas da doença. “É preciso que as pessoas, independentemente da idade, busquem o atendimento logo nos primeiros sintomas”, disse à AMN.

O boletim epidemiológico desse domingo, 9, registrou ocupação de 100% dos 70 leitos de UTI do Hospital Municipal. Em alta, na comparação com duas semanas passadas, a média móvel está em 105 casos diários. Quanto a mortes, esse indicador é de 3,43, similar ao de 14 dias atrás.

O informe também confirmou mais duas mortes por covid-19 no município – dois homens, de 60 e 75 anos, e uma mulher com 85 anos –, totalizando 806 vidas perdidas na pandemia. Foram confirmados 52 novos diagnósticos positivos. Casos ativos da doença, com potencial de transmissão, são 580.

Nesse contexto, é importante a manutenção dos cuidados sanitários. Entre as medidas que devem ser seguidas por toda a população estão o uso de máscara de proteção, higienização frequente das mãos e distanciamento social.

Paulo Bogler - H2FOZ

Paulo Bogler é jornalista e repórter do H2FOZ. e-mail: [email protected] Veja mais mais conteúdo do autor.

Gostou do texto? Contribua para ampliar o jornalismo em Foz do Iguaçu. ASSINE JÁ

error: O conteúdo é de exclusividade do H2Foz.