Prefeito defende abertura da Ponte da Integração em outubro

Obras nas duas cabeceiras ainda não foram concluídas; ministra paraguaia esteve na fronteira, na última sexta (17), para vistoriar os trabalhos.

Apoie! Siga-nos no Google News

Outubro de 2024. No entender do prefeito de Presidente Franco, Roque Godoy, o mês em questão seria uma opção realista para a abertura ao tráfego na Ponte da Integração Brasil–Paraguai, construída para ligar Foz do Iguaçu à cidade paraguaia.

Leia também:
Perimetral Leste tem 26% de execução, mostra boletim mensal

Na última sexta-feira (17), a ministra de Obras Públicas e Comunicações do Paraguai, Claudia Centurión, esteve na fronteira para vistoriar as obras do Corredor Metropolitano del Este (CME), equivalente paraguaio à Perimetral Leste de Foz do Iguaçu.

Ministra Claudia Centurión manifestou otimismo em relação ao andamento das obras. Foto: Gentileza/Prefeitura de Presidente Franco
Ministra Claudia Centurión manifestou otimismo em relação ao andamento das obras. Foto: Gentileza/Prefeitura de Presidente Franco

Acompanhada pelo prefeito Godoy, Centurión deu declarações citando outubro, uma vez que estruturas como a ligação da ponte com o perímetro urbano de Presidente Franco e os prédios da aduana e do pátio de caminhões possivelmente já estarão concluídas.

Além disso, outubro é o mês de aniversário do município de Presidente Franco, o que agregaria um elemento festivo adicional à inauguração.

“Espero que, como disse a ministra, as obras de acesso à ponte já estejam terminadas para outubro, coincidindo com o aniversário da nossa cidade”, desejou Roque Godoy, citado pelo jornal La Nación.

A definição de uma data, contudo, depende do andamento dos trabalhos da Perimetral Leste em Foz do Iguaçu, afinal nenhum trecho da rodovia foi liberado ainda ao tráfego de veículos. A futura aduana brasileira segue em estágio de obras.

Tanto no Brasil como no Paraguai, a previsão é a de que o pacote completo de acesso à ponte seja finalizado somente no último trimestre de 2025.

Até lá, a liberação da estrutura poderá ser parcial, tendo como foco situações pontuais, como a passagem de caminhões vazios (em lastre), para ajudar a desafogar o trânsito na Ponte Internacional da Amizade e diminuir o tempo de espera.

LEIA TAMBÉM

Comentários estão fechados.