Brasileiro é enganado por falsos lojistas em Ciudad del Este

Comprista foi convencido por um suposto “guia” a ir a uma loja usada como fachada; Polícia Turística investiga o caso.

Apoie! Siga-nos no Google News

Um turista de nacionalidade brasileira, procedente do Rio Grande do Sul, procurou a Polícia Turística do Paraguai, na tarde de sexta-feira (10), para relatar que foi vítima de um golpe aplicado por falsos lojistas em uma sala comercial da rua Camilo Recalde, à direita de quem entra em Ciudad del Este pela Ponte Internacional da Amizade.

Leia também:
Ciudad del Este formaliza “guias de compras” que atuam na fronteira

De acordo com o relato, reproduzido por fontes como o jornal ABC Color, o consumidor, de primeiro nome Leandro, estava com a esposa e um filho menor de idade quando foi abordado por um suposto “guia de compras”, nas proximidades da aduana de Ciudad del Este, oferecendo produtos eletrônicos a preços vantajosos.

O turista concordou em ir com a família até a loja indicada, onde foi convencido a fazer um pagamento no valor de R$ 1,7 mil, via Pix (o sistema Pix, oficialmente, não existe no Paraguai), pela compra de um celular e um receptor de canais de televisão. Passada uma hora, contudo, as mercadorias não foram entregues.

Ao reclamar da situação, o cliente foi levado até os fundos da falsa loja, onde foi cercado por cinco ou seis homens exibindo armas de fogo, que coagiram Leandro a levar três receptores de baixo valor, sob ameaça de que, caso procurasse as autoridades, ele e os familiares sofreriam as consequências.

Inconformado, o brasileiro foi ao escritório da Polícia Turística, na cabeceira paraguaia da Ponte da Amizade, para registrar queixa do ocorrido. O caso foi comunicado ao Ministério Público do Paraguai, que abriu procedimento investigativo.

Em declarações à rádio Monumental AM, de Assunção, o chefe do Departamento de Segurança Turística, delegado Humberto Franco, relatou que, somente na última semana, oito casos similares foram denunciados por consumidores de origem brasileira, atraídos a locais de fachada pelos chamados pirañitas, os falsos guias que abordam turistas.

“Normalmente, os turistas brasileiros chegam para fazer compras e são abordados por esses supostos guias, que os levam a diferentes lugares, onde são enganados. Os farsantes começam a enrolar o comprador, mostrando diferentes produtos. A pessoa dá o dinheiro e depois é obrigada a levar qualquer coisa”, afirmou.

Para combater a atuação dos pirañitas, a prefeitura de Ciudad del Este deu início a um programa de capacitação e formalização de guias orientadores de compras, plenamente identificados com coletes e crachás padronizados. Em caso de práticas lesivas, tais guias serão descredenciados pelo poder público.

LEIA TAMBÉM

Comentários estão fechados.