Fronteira elabora observatório de turismo trinacional

Proposta é do Codetri, que une conselhos de desenvolvimento de Ciudad del Este, Foz do Iguaçu, Presidente Franco e Puerto Iguazú.

Apoie! Siga-nos no Google News

O Codetri (Conselho de Desenvolvimento da Região Trinacional do Iguassu) deliberou sobre a criação do Observatório de Turismo Trinacional, durante a última reunião ano, nesta semana. O colegiado fez balanço da atuação em 2023 e projetou prioridades.

LEIA TAMBÉM: Em doze anos, Foz do Iguaçu recebeu quase 15 mil imigrantes de 95 nacionalidades

O Observatório de Turismo pretende ser uma instância para congregar os diversos atores do segmento nas Três Fronteiras. A proposta segue termo assinado pelo conselho e a Organização Mundial do Turismo (OMT) em Foz do Iguaçu.

A intenção é contribuir unir setores elaborar subsídios técnicos. A finalidade é “produzir dados, projetos e articulações que contribuam para evidenciar a região trinacional como destino único”, expõe o Codetri.



O Codetri é uma governança que une conselhos de desenvolvimento da Argentina, Brasil e Paraguai, em torno de demandas fronteiriças comuns. É composto de quatro cidades: Ciudad del Este, Presidente Franco, Foz do Iguaçu e Puerto Iguazú.

Avaliar e planejar

Presidente do Codetri, Roni Temp, elencou as principais ações de um ano consideradp muito produtivo. “Se temos grandes desafios por sermos uma região trinacional, por outro lado contamos a nosso favor com a união, o diálogo e a vontade de trabalhar em conjunto”, frisou.

Entre as ações previstas para 2024, o enfoque será para segmentos como:

  • Turismo;
  • Logística;
  • Mobilidade;
  • Segurança.

Na reunião, a American Bar Association (ABA), associação de advogados criada nos Estados Unidos, expôs a campanha Enxergue os Sinais. E os presidentes dos conselhos homenageram Linda Taiyen pelo trabalho incansável pela integração trinacional.

Linda Taiyen, presidente do Codeleste, recebeu homenagem do Codetri pelo seu trabalho em prol da integração – foto: Divulgação


Fronteira integrada

Presidentes dos quatro conselhos que formam o Codetri já apontaram algumas prioridades para 2024. Entre os pontos comuns elencados figuram o trânsito fronteiriço, o andamento das obras da segunda ponte Brasil–Paraguai, a nova aduana e o funcionamento dos equipamentos de fiscalização e segurança.

Ciudad del Este

“Entre as muitas questões que devem ser prioridade em nossa pauta é o trabalho forte com os atores turísticos e o fluxo fronteiriço, o que inclui segurança e mobilidade”, mencionou a presidente do Codeleste, Linda Taiyen. “É algo para o que precisamos nos dedicarmos intensamente entre os quatro conselhos”, sugeriu.

Presidente Franco

Um dos desafios de Presidente Franco é, junto com as demais cidades, aproveitar o diferencial turístico. A cidade está ligada a Foz do Iguaçu pela Ponte da Integração, sendo vizinha de Ciudad del Este. “Estamos trabalhando em um plano de desenvolvimento territorial com o poder público para que a nossa região possa crescer de forma harmoniosa, em todo o seu potencial”, expôs o presidente do Codefran, Ivan Leguizamón.

Foz do Iguaçu

Presidente do Codefoz, Fernando Castro Alves afirmou que a pauta principal de Foz do Iguaçu será a agenda com 70 projetos prioritários, que incluem investimentos que impactam positivamente a fronteira. “A agenda Acelera Foz já foi entregue para a Itaipu, prefeitura e Câmara. No começo do ano, a levaremos ao governador do Paraná. A concretização de projetos grandes é o que vamos pedir”, reportou.

Puerto Iguazú

O presidente do Codespi, Rodrigo Blanco, relatou que o conselho de Puerto Iguazú passou por reestruturação e está pronto para os desafios fronteiriços. “Nosso planejamento prevê arrancar o trabalho com firmeza já no começo do ano que vem. Estamos à disposição e abertos para seguir trabalhando pela integração em 2024”, prontificou-se ao Codetri.

(Com informações do Codetri)

LEIA TAMBÉM