Nível do Rio Paraná começa a baixar na região de Foz do Iguaçu

Apesar da redução no volume, vertedouro da usina deverá permanecer aberto pelos próximos dez dias.

Apoie! Siga-nos no Google News

O nível do Rio Paraná na região de Foz do Iguaçu, no trecho próximo à Ponte da Amizade, começará a baixar a partir deste sábado (25), conforme Boletim Hidrológico emitido por Itaipu Binacional. Estima-se que a lâmina d’água recue pelo menos 70 centímetros em relação à marca máxima projetada para sexta-feira (24).

Leia também:
E o calorão? Veja a previsão do tempo para o fim de semana em Foz do Iguaçu

Para hoje, a medição deverá cair a 109,27 metros acima do nível do mar. Nos próximos dias, a tendência é de redução ainda maior, em razão da diminuição no volume de água que entra no reservatório da usina, que era de 18,6 mil metros cúbicos por segundo (m³/s) na sexta e poderá voltar ao patamar de 12 mil m³/s no início de abril.

Já o vertedouro de Itaipu, conforme as projeções, permanecerá aberto pelos próximos dez dias, com o excedente descendo pela calha da esquerda. O vertimento teve início em 14 de janeiro e já dura mais de 70 dias. O último período tão longo, de 78 dias, ocorreu entre novembro de 2015 e fevereiro de 2016.

Tabela do Boletim Hidrológico de Itaipu
Tabela do Boletim Hidrológico de Itaipu

“Depois de um início de março chuvoso, recentemente a precipitação tem sido mais irregular e menos intensa. Com isso, a vazão das hidrelétricas de Porto Primavera e Rosana, a montante da usina binacional, e dos níveis dos rios Ivaí e Piquiri, da bacia incremental de Itaipu, entraram decréscimo ou se mantiveram mais estáveis”, descreve Itaipu em material enviado à imprensa.

Para domingo (26), o Boletim Hidrológico de Itaipu prevê que o Rio Paraná recue ao nível de 108 metros acima do nível do mar nas imediações da Ponte Internacional da Amizade, reduzindo a situação de inundação no bairro San Rafael, em Ciudad del Este. Ao longo da próxima semana, a estimativa é de retorno à marca de 104 metros.

As chuvas na bacia do Rio Paraná trouxeram alívio aos exportadores do Paraguai, que utilizam a hidrovia como canal prioritário para o envio de produtos agrícolas. Além do Paranazão, a bacia do Rio Paraguai também teve precipitações acima da média, normalizando o fluxo de embarcações que partem ou chegam ao país.

LEIA TAMBÉM

Comentários estão fechados.