Turista brasileiro é assaltado em loja “fake” no Paraguai

Catarinense acionou a Polícia Turística e a Defesa do Consumidor; sala comercial estava vazia no momento da chegada das autoridades.

Apoie! Siga-nos no Google News

Um turista de nacionalidade brasileira, procedente do estado de Santa Catarina, procurou a Polícia Turística e o Escritório de Defesa do Consumidor, em Ciudad del Este, para relatar que foi atraído a uma loja “fake” e assaltado pelos supostos vendedores.

Leia também:
Guia de segurança para turistas em Foz do Iguaçu e fronteira

O caso foi noticiado pelo jornal ABC Color, nessa sexta-feira (15), em sua edição on-line. Conforme o relato, Joaquim F.S.N. foi abordado por um suposto “guia de compras”, nas imediações da Ponte da Amizade, e levado até uma sala comercial na Rua Camilo Recalde, à direita da passagem fronteiriça.

No local, o brasileiro foi conduzido a uma peça nos fundos e rodeado por três indivíduos, que subtraíram seu celular.

Ao constatar a inexistência de aplicativos de banco e PIX, os bandidos retiraram os R$ 500 que Joaquim tinha na carteira e entregaram, como suposta compra, um receptor de sinais de satélite, ameaçando o turista para que não denunciasse o caso.

Agentes da Polícia Turística e servidores do Escritório Municipal de Defesa do Consumidor foram ao endereço denunciado pelo brasileiro, que estava com as portas fechadas e não tinha sequer placa na fachada. O Ministério Público do Paraguai foi acionado para as diligências correspondentes.

Para evitar ocorrências do tipo, entidades da região de fronteira lançaram um material com dicas de segurança, que pode ser conferido, na íntegra, clicando aqui. Uma das recomendações é, precisamente, fugir das abordagens dos supostos “guias” em Ciudad del Este. A publicação também compila endereços e contatos das forças de segurança.

LEIA TAMBÉM