Ponte Tancredo Neves em 1984, um ano antes de ficar pronta

Comissão em prol da obra, que reunia lideranças de Foz do Iguaçu e Puerto Iguazú, cumpriu o papel de acelerar os governos nacionais.

Apoie! Siga-nos no Google News

Embarcações que faziam a travessia de brasileiros e argentinos pelo Rio Iguaçu foram substituídas pela Ponte Tancredo Neves, inaugurada em 1985, e uma nova dinâmica na relação dos dois países teve início. Um ano antes, o jornal Nosso Tempo foi ao canteiro de obras e recontou parte do esforço fronteiriço para tirar a via do papel.

LEIA TAMBÉM:
Dia em que a travessia de barco entre Foz do Iguaçu e Puerto Iguazú foi fechada no Porto Meira
Trote de bomba ameaçou ‘mandar para os ares’ prefeitura em Foz do Iguaçu
Mesquita de Foz do Iguaçu: da pedra fundamental à inauguração
Ecomuseu de Itaipu, lembra da época da construção em Foz do Iguaçu?
Ponte da Amizade Brasil-Paraguai lembrada na história

“A obra consumirá 34 milhões de dólares e unirá Brasil e Argentina”, destacou a edição n.º 121, de 1.º a 8 de junho de 1984. E reuniu dados da edificação, como a extensão de 480 metros e largura, com um vão-livre de 220 metros. Na ocasião, lideranças iguaçuenses faziam visita técnica e colhiam informações no local do engenheiro responsável.

Naquela época, similaridade com o tempo presente, os projetos estruturantes para a região trinacional não “caiam do céu”. Para ver tornar-se realidade a Tancredo Neves, ou Ponte da Fraternidade, houve esforço e mobilização de lideranças de Foz do Iguaçu e de Puerto Iguazú, para sensibilizar, termo respeitoso, os governos federais dos dois países.

O Nosso Tempo realçou o papel da Comissão Mista, que contribuiu para impulsionar as negociações entre os governos do Brasil e da Argentina. Antes de bater o martelo para a construção, as relações políticas entre as duas nações vizinhas não eram das melhores, e as peças do xadrez diplomático se moviam com enorme lentidão.

“A comissão, em nível local, enviava telex, fazia viagens, enfim, promovia uma verdadeira agitação, mobilizando todo mundo para entrar na luta e acelerar a assinatura do acordo e, posteriormente, a construção da obra”, narrou o impresso iguaçuense.

“Nosso objetivo – lembra Sérgio Lobato – era sensibilizar as autoridades dos dois países para a importância e a necessidade”, prosseguiu a reportagem do Nosso Tempo. A Ponte Tancredo Neves, expôs o integrante da comissão em prol da obra, “sem dúvida alguma vai unir interesses comerciais e de amizades”, projetou Lobato.

Sonho concretizado

A Ponte Tancredo Neves veio a ser inaugurada em 29 de novembro de 1985, tendo sido construída sobre o Rio Iguaçu a 2,9 quilômetros de sua foz, onde as águas se encontram com o Rio Paraná, no Marco das Três Fronteiras. Pouco depois, as autoridades brasileiras fecharam o ponto fronteiriço que permitia a travessia de embarcações para o comércio e o turismo entre o Porto Meira, em Foz do Iguaçu, e o lado argentino.

Leia a reportagem na edição original do Nosso Tempo.

História a um clique

O portal Nosso Tempo Digital reúne todo o acervo do jornal, projeto lançado para marcar o aniversário de 30 anos do periódico rebelde. O objetivo é preservar a memória da cidade, facilitar o acesso à história local e regional, e democratizar a consulta ao acervo midiático por meio da internet.

O acesso ao Nosso Tempo é gratuito. O acervo constitui fonte valiosa para o morador desejoso de vasculhar a história da cidade e de seus atores, contada nas 387 edições do jornal que foram digitalizadas, abrangendo de dezembro de 1980 a dezembro de 1989.

Clique aqui e acesse o Nosso Tempo Digital.

LEIA TAMBÉM
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.