Veja os novos preços da gasolina e do diesel em Puerto Iguazú

Primeiro reajuste de 2024 foi aplicado nos postos Shell e YPF nesta quarta-feira (3); gás de cozinha também teve aumento.

Apoie! Siga-nos no Google News

Abastecer nos postos da Argentina deixou de ser vantajoso para os moradores da fronteira trinacional. Na manhã desta quarta-feira (3), um novo reajuste foi aplicado nos preços da gasolina e do diesel, com alta de até 26,1% na comparação com 20 dias atrás.

Leia também:
Paraguai faz nova redução nos preços da gasolina e do diesel

Em relação aos preços praticados até 13/12, data do último reajuste oficial, o acréscimo foi de 23,4% no litro da gasolina V-Power, nos postos Shell, e de 26,1% na gasolina Súper, nos postos YPF.

Tarifário dos postos Shell em Puerto Iguazú (3/1):
Nafta Súper: P$ 860 (+14,9%).
Nafta V-Power: P$ 1.032 (+23,4%).
Formula Diesel: P$ 903 (+17,4%).
Diesel V-Power: P$ 1.097 (+19,7%).



Tarifário dos postos YPF em Puerto Iguazú (3/1):
Nafta Súper: P$ 831 (+26,1%).
Nafta Infinia: P$ 999 (+25%).
Infinia Diesel: P$ 1.070 (+26%).

O valor adicional cobrado dos motoristas estrangeiros, prática comum nos postos de Puerto Iguazú, não foi informado.

A título de registro, em 15/12, os postos YPF já cobravam P$ 990 de condutores brasileiros e paraguaios pelo litro da Nafta Infinia, cujo preço para os argentinos, à época, era de P$ 799.

Além disso, o preço em reais dependerá da cotação obtida pelo consumidor. Ao câmbio de R$ 1 por P$ 180, por exemplo, o litro da Nafta V-Power, na rede Shell, custa o equivalente a R$ 5,73.

Como comparativo, a gasolina do tipo V-Power era encontrada em Foz do Iguaçu, na manhã desta quarta-feira, em um posto de bandeira Shell, a R$ 6,19.

Em estabelecimentos de outras bandeiras, por sua vez, gasolinas do tipo aditivada eram vendidas abaixo de R$ 5,73, o que faz com que, após vários anos de câmbio favorável, abastecer na Argentina já esteja até mais caro que no Brasil.

Gás de cozinha

Outro item básico cujo preço disparou para os moradores de Puerto Iguazú é o gás de cozinha, que teve aumento de até 120% na virada de ano, conforme informação publicada pelo portal La Voz de Cataratas.

Na maioria das distribuidoras, o botijão de dez quilos (padrão no mercado argentino) era comercializado a P$ 12.000 na manhã desta quarta-feira. Já o botijão de 15 quilos custava P$ 18.000.

Nota: é proibido cruzar a fronteira trazendo botijões do país vizinho.

LEIA TAMBÉM