Foz do Iguaçu registra mais 14 mortes por covid-19; e ainda a morte de uma jovem por dengue

Enquanto o número de casos de covid-19 diminui, o de mortes permanece nos patamares mais altos desde o início da pandemia, em Foz do Iguaçu. Nas últimas 24 horas, a Vigilância Epidemiológica confirmou mais 14 mortes, que agora totalizam 627.

Entre os óbitos, está o de uma jovem mulher de 33 anos, além de outra com 52, duas com 55 e mais mulheres de 70, 72, 74, 80 e 98 anos. Quatro homens morreram, com idades de 61, 67, 68 e 74 anos.

Já o número de casos foi de 59, de domingo para esta segunda-feira, 29. O total agora é de 31.634, dos quais 30.470 pessoas estão recuperadas.

Dos casos confirmados, 358 estão em isolamento domiciliar, com sinais e sintomas leves, e 179 pessoas estão internadas.

Em relação há duas semanas, os casos diários estão diminuindo. A média diária, nos últimos sete dias, está em 133,57.

Dos 125 leitos de UTI para pacientes de covid-19, 115 estão sendo utilizados, o que equivale a 92% do total. Dos 89 leitos de enfermaria, 75 estão ocupados, ou 84,27$ do total.

LETALIDADE SUPERA MÉDIA PARANAENSE

É preciso registrar outro dado importante e preocupante. No informe desta segunda-feira, pela primeira vez a taxa de letalidade em Foz do Iguaçu ultrapassou a média paranaense e ficou ainda mais perto de duas mortes a cada 100 pessoas infectadas.

Letalidade é o número de mortes em relação ao total de casos. Foz chegou nesta a segunda a 1,98%, superior à média paranaense (1,93%) e bem acima da média da 9ª Regional de Saúde (1,73%), que engloba outros oito municípios.

A média brasileira se mantém em 2,49%, superior à média mundial, de 2,19%.

Sobre covid, leia também:

Uma a cada três mortes por covid-19 em Foz do Iguaçu ocorreu em março


DENGUE MATA JOVEM

Aedes aegypti, o mosquito transmissor da dengue. Foto Genilton Vieira/IOC

Além da preocupação com a covid-19, a Vigilância Epidemiológica também precisa estar atenta aos casos de dengue. Nesta segunda-feira, foi confirmada a primeira morte por dengue neste ano, em Foz do Iguaçu, e a terceira desde que teve início o ano epidemiológico, em agosto de 2020.

A vítima é uma jovem de 22 anos, que estava internada no Hospital Municipal Padre Germano Lauck com dengue grave, também conhecida como dengue do grupo D. Ela não possuía comorbidades. O óbito ocorreu na noite deste domingo (28).

O primeiro óbito por dengue neste novo ano epidemiológico ocorreu no dia 30 de setembro de 2020 e o segundo no dia 13 de novembro do ano passado. As vítimas eram homens, de 74 anos e 87 anos, respectivamente.

Foz do Iguaçu registra até o momento 251 casos confirmados da doença e 7.656 notificações. Os dados são do último boletim epidemiológico, divulgado na semana passada. Em todo o Estado, são 5.293 casos da doença e 42.076 notificações. O Paraná contabiliza 9 óbitos por dengue.

Em Foz do Iguaçu, as mulheres são as mais infectadas, com 53% dos casos, enquanto os homens contabilizam 47%. Jovens de 15 a 29 anos estão sendo os mais atingidos (29%), seguido dos adultos jovens, de 30 a 44 anos (27%). Adultos de 45 a 59 anos representam 15%; idosos com mais de 60 anos representam 12%, bem como crianças e adolescentes de 01 a 14 anos (12%). Crianças menores de 1 ano somam 5% dos casos.

Os distritos Leste e Norte concentram a maior quantidade de focos do mosquito da dengue, com 29% dos casos; seguidos dos distritos Oeste e Sul, com 17% e Nordeste, com 6%. O novo boletim epidemiológico da dengue será publicado nesta terça-feira, 30.

 

Gostou do texto? Contribua para ampliar o jornalismo em Foz do Iguaçu. ASSINE JÁ

Claudio Dalla Benetta - H2FOZ

Cláudio Dalla Benetta é repórter do H2FOZ. e-mail: [email protected] Veja mais mais conteúdo do autor.

error: O conteúdo é de exclusividade do H2Foz.