Paraná apresenta Nova Ferroeste a investidores que miram potencial do estado

Estrada de ferro deverá reduzir custo logístico; projeto prevê ramal até a Foz do Iguaçu, na fronteira.

Apoie! Siga-nos no Google News

O projeto da Nova Ferroeste prevê ligação entre produtores de grãos das regiões Sul e Centro-Oeste a cooperativas produtoras de alimentos do Paraná e Santa Catarina, com menor custo logístico. E inclui um ramal até a fronteira, em Foz do Iguaçu. Esse potencial foi apresentado pelo Governo do Paraná a investidores catarinenses.

LEIA TAMBÉM: Foz do Iguaçu reúne mais de 150 vagas de emprego com carteira assinada

O governador Carlos Massa Ratinho Junior (PSD) recebeu nesta segunda-feira, 4, presidentes da Associação Comercial Industrial de Chapecó (ACIC), Leonir Antônio Broch, e da Aurora Coop, Neivor Canton. Eles conheceram mais detalhadamente o projeto da linha férrea e o estágio atual do projeto.

A Nova Ferroeste está em fase final de licenciamento ambiental. A proposta do Governo do Paraná prevê modernizar a atual conexão entre Cascavel e Guarapuava, ligando Maracaju, no Mato Grosso do Sul, a Paranaguá, no Litoral do Paraná, com ramais para Foz do Iguaçu e Chapecó, em Santa Catarina.



“O setor produtivo precisa, cada vez mais, ter eficiência logística para exportar todo o alimento produzido para os outros países, através dos portos de Santa Catarina ou do Porto de Paranaguá”, avaliou o governador. “A Nova Ferroeste está com o projeto bem avançado, agora focado na análise ambiental, para depois partir para a parte operacional”, disse.

Governador Ratinho Junior (PSD) recebeu os presidentes da Associação Comercial Industrial de Chapecó e da Aurora Coop – foto: Divulgação/AEN


“Tivemos a satisfação de concluir recentemente a nossa intercooperação com três importantes cooperativas do Paraná, e podermos juntos promover a suinocultura nos Campos Gerais”, explanou o presidente da Aurora Coop, Neivor Canton. “Com isso, na medida do possível, com os planos que o Governo do Estado tem, também já passamos a pensar em um futuro ainda mais abrangente na produção de suínos no Paraná.”

A Aurora Coop também controla uma unidade frigorífica em Mandaguari, no Noroeste. Somando as duas plantas, a Aurora emprega mais de 4 mil pessoas no Paraná. De acordo com o executivo, a cooperativa deve investir mais de R$ 700 milhões para ampliar a capacidade produtiva das unidades nos próximos anos.

O presidente da ACIC destacou a importância do projeto da Nova Ferroeste. “A logística é um dos grandes gargalos do nosso negócio, e essa parceria com o Governo do Paraná nesse projeto vai ser muito importante para toda a região que engloba o Sudoeste e Oeste do Paraná, o Oeste de Santa Catarina e até o noroeste gaúcho. A redução de custos no transporte de alimentos pode chegar a 30%”, afirmou Broch.

Reta final

Conforme a gestão estadual, a Nova Ferroeste entrará em 2024 na “reta final do processo de licenciamento”. A estrada de ferro criará uma ligação direta das cadeias produtivas, ampliando e modernizando a atual conexão entre Cascavel e Guarapuava, passando a interligar Maracaju (MS), a Paranaguá, no Litoral do Paraná, com ramais para Foz do Iguaçu e Chapecó (SC).

LEIA TAMBÉM