Plano de vacinação deve ser público para a população de Foz do Iguaçu

Passada a euforia da primeira dose, caminhamos a passos lentos, lentíssimos, com a vacinação contra a covid-19 em Foz do Iguaçu. O infortúnio não é um privilégio do iguaçuense. Para deleite dos indecorosos, a imunização anda a conta-gotas em todo o Paraná e no Brasil.

A primeira pessoa foi vacinada em 20 de janeiro na cidade. Com sorte, vamos completar um mês do “início da vacinação” com cerca de oito mil pessoas imunizadas (em torno de 7,3 mil até a data de hoje, 15 de fevereiro), conforme o “vacinômetro”.

A vacinação inicial inclui os profissionais de saúde e idosos que moram em instituições de longa permanência. Depois será a vez dos idosos, estratificados em cinco faixas de idade entre 60 e acima de 80 anos, que envolvem mais de 20 mil pessoas na cidade.

Como se vê, temos muito chão para percorrer até imunizar os 258 mil habitantes do município. Aqui e acolá, não chega a 3% de cobertura. Conforme a prefeitura, somente os 23 grupos prioritários definidos pelo Ministério da Saúde correspondem a mais de 50 mil pessoas na cidade.

O ritmo lento gera uma grande inquietação na comunidade. Diariamente a imprensa é procurada por netos e filhos desesperados querendo saber como vacinar seus avós e pais. Todos buscam informações sobre o cronograma da vacinação para proteger seus entes queridos.

Não muito distante daqui, em Cascavel, o governo tornou público o “Plano Municipal de Vacinação contra a covid-19”, com primeira versão publicada em 19 de janeiro. Estampado no site da prefeitura, o documento é atualizado regularmente e já está em sua quinta revisão. Clique aqui para acessar o plano.


No “Boletim da Vacinação” é possível ter acesso a informações com objetividade, de forma simples e prática. Desde datas, locais e horários do cronograma, perfis prioritários, aplicações em andamento até grupos já imunizados (seja com a primeira ou com a segunda dose), doses aplicadas e unidades do imunizante em estoque.

Diante da falta de perspectivas de vacinação em massa no Brasil, os governantes devem deixar claro que levaremos muito tempo para imunizar a população. Até lá é importante que o “Plano Municipal de Operacionalização da Vacinação contra covid-19 de Foz do Iguaçu” siga o exemplo de Cascavel, com a máxima publicidade ao documento para que todos possam conhecer e fiscalizar. Mal não fará.

Gostou do texto? Contribua para ampliar o jornalismo em Foz do Iguaçu. ASSINE JÁ

error: O conteúdo é de exclusividade do H2Foz.