Prefeitura de Foz do Iguaçu estima arrecadar R$ 1,275 bilhão em 2022

Sede da Prefeitura de Foz do Iguaçu (Foto: Agência Municipal de Notícias )

Devido ao que estabelece a Lei de Responsabilidade Fiscal, a administração municipal detalhou em audiência pública o projeto da Lei de Diretrizes Orçamentárias, a LDO, que fixa a meta de arrecadação para o exercício financeiro do próximo ano.

Para 2022, a prefeitura estima que entrará nos cofres públicos a vultosa quantia de R$ 1,275 bilhão, acima do total de R$ 1,1 bilhão de 2021.

Essa receita deverá cobrir os gastos do município com folha de pagamento, projetos, obras e investimentos.

Considerando a discussão sobre a lei orçamentária, cabe perguntar mais uma vez: qual é o grande projeto da gestão municipal para o desenvolvimento de Foz do Iguaçu?

Como vamos gerar emprego para a população, lembrando que Foz do Iguaçu tem o pior desempenho na criação de postos de trabalho no estado, considerando o período dos últimos 12 meses?. Isto é, entre as 399 cidades do Paraná, ficamos na posição 394 na geração de trabalho formal, conforme os dados do Ministério da Economia.

Como vamos gerar renda e inserir na economia formal um número crescente de famílias que estão em vulnerabilidade, muitas delas fragilizadas por causa da pandemia?

Qual é o norte apresentado pelo prefeito Chico Brasileiro e sua equipe para fazer a nossa cidade crescer?

E ao falamos em orçamento para Foz do Iguaçu, não é possível deixar de abordar os royalties recebidos da Itaipu Binacional, previstos em legislação.

Um dos aspectos é o aumento grande desse recurso. Saímos de R$ 76 milhões em 2018 para R$ 115 milhões em 2021. Para o ano que vem, é esperado um acréscimo de 5%, superando R$ 120 milhões em royalties para Foz do Iguaçu.

E qual é o projeto estratégico de desenvolvimento e de geração de emprego e renda que esses recursos vêm fomentando nos últimos anos?

Nesta semana, no dia do padroeiro da cidade, São João Batista, o prefeito Chico Brasileiro reuniu sua equipe para dar uma chacoalhada em secretários e diretores que o acompanham na gestão.

Para sustentar seu argumento, citou algumas obras que o município pretende realizar a entrega de casas populares, que são de convênio com a Caixa Econômica Federal.

Na reunião, pediu aos auxiliares foco na definição de projetos prioritários, com ênfase no desenvolvimento. Quer dizer, no âmbito da prefeitura, ainda que sob o manto de São João, Foz do Iguaçu carece da alavanca necessária para fazê-la crescer.

Gostou do texto? Contribua para ampliar o jornalismo em Foz do Iguaçu. ASSINE JÁ

Já escutou o último episódio do GUARÊ, o podcast do H2FOZ? OUÇA AGORA

H2FOZ – Editorial

Este texto expressa a opinião do H2FOZ a respeito do assunto. E-mail [email protected]Veja mais conteúdo do autor.

H2FOZ – Editorial tem 34 posts e contando. Ver todos os posts de H2FOZ – Editorial

error: O conteúdo protegido !!! Este conteúdo e de exclusividade do H2FOZ.