Ato recorda um ano da morte de professora em Foz do Iguaçu

Viviane Jara Benitez presidia o sindicato dos professores municipais; família argumenta erro médico e pede responsabilização dos envolvidos.

Apoie! Siga-nos no Google News

Familiares, amigos e colegas da professora Viviane Jara Benitez, que faleceu em 26 de fevereiro de 2023, aos 39 anos, realizaram um ato público em frente ao Hospital Municipal de Foz do Iguaçu, nessa segunda-feira (26), para recordar a data.

Leia também:
Maior Cmei do município recebe nome da professora Viviane Jara Benitez

Os participantes pediram justiça e responsabilização dos envolvidos na cirurgia pré-agendada que resultou na morte de Viviane, que presidia o Sindicato dos Professores e Profissionais da Educação da Rede Pública Municipal de Foz do Iguaçu (Sinprefi).


A professora morreu dez dias após passar pelo procedimento de retirada do útero, ocorrido no Hospital Municipal. A família argumenta que houve erro médico.

“Indignação e revolta!”, desabafou a irmã de Viviane Jara Benitez, Márcia Benitez, citada pela assessoria do Sinprefi. “Durante todo esse ano, a indignação é a mesma. Coração sangra toda vez que a gente pensa que tudo o que aconteceu poderia ter sido evitado.”

“Nós vamos continuar lutando, para que os responsáveis paguem pelo que fizeram ou pelo que deixaram de fazer”, complementou.

À época, o diretor do hospital, André Di Buriasco, afirmou que “estava sendo encaminhada uma perícia médica do prontuário para apurar se teve alguma situação de imperícia ou negligência de algum outro profissional, além do cirurgião”.

O cirurgião foi afastado e deixou de fazer parte do quadro do Hospital Municipal. Há ainda uma sindicância no Conselho Regional de Medicina do Estado do Paraná (CMR/PR), que estava, no mês de dezembro de 2023, “em fase de emissão do relatório conclusivo”.

LEIA TAMBÉM

Comentários estão fechados.