Campanha em Foz une forças no enfrentamento à violência contra a mulher

Adriana Vasconcellos Dandolini em entrevista para o Marco Zero - Foto: Carlos Sossa

A advogada Adriana Vasconcellos Dandolini detalha as ações e convida para 21 Dias de Ativismo pelo Fim da Violência contra a Mulher na cidade.

De janeiro a setembro deste ano, foram registradas 1.577 ocorrências de violência doméstica em Foz do Iguaçu, segundo dados da Secretaria de Estado da Segurança Pública (SESP), elaborados pelo Centro de Análise, Planejamento e Estatística. A lista de agressões é liderada por ameaças (637), lesão corporal (563) e injúria (411).

No mesmo período, foram 4,3 mil ocorrências criminais em que as vítimas são mulheres. Nos nove primeiros meses do ano, ocorreram 103 descumprimentos de decisão judicial para medidas protetivas de urgência, um aumento de 1.600% em relação a 2020, quando foram seis, segundo o levantamento da SESP.

O Marco Zero é um programa conjunto produzido pelo H2FOZ e Rádio Clube FM. Entrevista, opinião, enquete, entretenimento, esporte, cultura e agenda. Todo sábado, das 10h às 12h. Participe do grupo no Whatsapp para receber as novidades. Clique aqui.

Com o objetivo de conscientizar de que a violência contra a mulher deve ser enfrentada e erradicada com a participação de toda a sociedade, Foz do Iguaçu recebe a Campanha de 21 Dias de Ativismo pelo Fim da Violência contra a Mulher. A iniciativa é da Comissão das Mulheres Advogadas da OAB de Foz do Iguaçu (OAB/Foz) e do Centro de Referência de Atendimento à Mulher (CRAM), em conjunto com outras entidades.

A programação, que teve início domingo, com um pedal solidário, inclui seminário, palestras, debates, rodas de conversa e até uma partida de futebol pelo fim da violência contra a mulher no município. Durante as ações, até o dia 10 de dezembro, são recolhidos absorventes íntimos para as beneficiárias do projeto Tá no Ciclo e a mulheres em situação de cumprimento de pena.

Presidente da Comissão das Mulheres Advogadas de Foz do Iguaçu, Adriana Vasconcellos Dandolini explica que a campanha mundial é de 16 dias, mas localmente são 21 dias para incluir o Dia da Consciência Negra. “É para englobar a luta das mulheres negras contra a violência”, destaca a advogada, em entrevista no Programa Marco Zero.

Assista à entrevista na íntegra.

De acordo com Adriana, a violência contra as mulheres atinge todas as pessoas: crianças e famílias. A ação no município para os 21 Dias de Ativismo promove a reflexão e um chamado para que todos se engajem e façam a sua parte com o objetivo de eliminar todas as formas de violência de gênero.

“A violência contra a mulher está presente em todos os espaços sociais, inclusive nos ambientes políticos e de poder”, afirma. “E também acontece no espaço doméstico, que deveria ser o lugar seguro dessa mulher, mas que acaba sendo de coação e violência”, contextualiza Adriana.

Clique para ver e acompanhar a programação da Campanha de 21 Dias de Ativismo pelo Fim da Violência contra a Mulher em Foz do Iguaçu.

Gostou do texto? Contribua para ampliar o jornalismo em Foz do Iguaçu. ASSINE JÁ

Já escutou o último episódio do GUARÊ, o podcast do H2FOZ? OUÇA AGORA

Paulo Bogler - H2FOZ

Paulo Bogler é jornalista e repórter do H2FOZ. e-mail: [email protected] Veja mais mais conteúdo do autor.

Paulo Bogler - H2FOZ tem 1454 posts e contando. Ver todos os posts de Paulo Bogler - H2FOZ

error: O conteúdo protegido !!! Este conteúdo e de exclusividade do H2FOZ.