Cinco empregados de Itaipu recebem a comenda da Ordem do Rio Branco

O diretor técnico executivo, Celso Villar Torino, e os assessores especiais, coronel Ricardo Pereira de Araújo Bezerra, coronel Jorge Ricardo Aureo Ferreira e capitão Arceli Pedrozo de Oliveira, além da chefe da Assessoria de Comunicação Social e de Turismo, Patrícia Iunovich, receberam oficialmente nesta terça-feira, 17, a Comenda da Ordem do Rio Branco.

A solenidade ocorreu no hall do Edifício da Produção da usina de Itaipu. A entrega foi feita pelo secretário-geral das Relações Exteriores, embaixador Otávio Brandelli. Conselheiros, incluindo o ministro de Minas e Energia, Bento Albulquerque, diretores da margem esquerda e familiares dos empregados agraciados estavam presentes.

O diretor-geral brasileiro, general Joaquim Silva e Luna, foi o cicerone da grande homenagem. Foi dele a indicação dos nomes para receber a comenda. Torino, o sênior do grupo, falou em nome de todos os condecorados.

“Na insígnia da ordem, há uma escrita em latim que, traduzida para o português, traz o sentimento que espontaneamente surge no coração de quem se dedica à hidrelétrica de Itaipu. Confesso que sinto isso todos os dias, há 31 anos nessa usina: ‘Em qualquer lugar, terei sempre a pátria em minha lembrança’”, disse o diretor.

Brandelli falou da importância da condecoração e da boa relação entre o Ministério das Relações Exteriores e a Itaipu e da própria comenda em si.

Os homenageados com o diretor-geral brasileiro e o ministro de Minas e Energia. Foto Rubens Fraulini
Como única mulher do grupo, Patrícia ganhou um mimo especial de Silva e Luna: um ramo de flores. Foto Rubens Fraulini
No pequeno grupo presente ao ato, empregados de Itaipu e familiares dos homenageados. Foto Rubens Fraulini

“Estamos aqui vendo todos muito agradecidos por essa honraria, mas somos nós que agradecemos aos senhores por essa condecoração; pelos bons serviços prestados à nação”. Em nome do ministro Ernesto Araújo, também agradeceu à Itaipu pelo investimento na restauração do Complexo Arquitetônico Itamaraty. “É um importante trabalho de conservação histórica e já completamos mais de 30% das obras. Isso não seria possível sem o apoio da Itaipu”, finalizou.

O diretor-geral brasileiro de Itaipu enalteceu o trabalho de toda a equipe e estendeu a homenagem a todos os empregados comprometidos com o seu dever público. “Todos aqui são merecedores dessa condecoração porque não tem hora para terminar e começar o dia. É uma data muito feliz para todos nós”. E acrescentou: “gesto de amizade e reconhecimento ao trabalho de muitas gerações dentro da Itaipu”.

O grau das condecorações ocorre em função do tempo de serviço de cada homenageado. Patrícia recebeu a ordem de oficial; Arceli, grau de cavaleiro; e os demais, de comendadores. Nome da ordem é uma homenagem ao Barão do Rio Branco, patrono da diplomacia brasileira. A condecoração havia sido publicada no dia 13 de outubro pelo presidente Jair Bolsonaro no Diário Oficial da União (DOU).

A honraria é um reconhecimento do governo brasileiro a pessoas físicas ou jurídicas, nacionais ou estrangeiras, pela prática de ações e feitos dignos de menção honrosa, além de distinguir serviços meritórios e virtudes cívicas. No caso da Itaipu, a empresa teve direito à indicação pelo reconhecimento à importância estratégica da hidrelétrica.

A honraria

A Ordem de Rio Branco foi instituída no dia 5 de fevereiro de 1963, pelo então presidente João Goulart. Possui os seguintes graus: Grã-Cruz, Grande Oficial, Comendador, Oficial e Cavaleiro, além de uma medalha anexa à Ordem.

Também é conferida uma Insígnia da Ordem às corporações militares ou às instituições civis.

Entre os homenageados, dois civis (Torino e Patrícia) e três militares. Foto Rubens Fraulini
error: O conteúdo é de exclusividade do H2Foz.