Doença em gatos: aumenta casos de esporotricose em Foz

A médica veterinária Luciana Chiyo, do Centro de Controle de Zoonoses, falou da doença no Marco Zero

Apoie! Siga-nos no Google News

Doença comum em gatos causada por fungo, a esporotricose aumentou vertiginosamente em Foz do Iguaçu. Conforme dados do Centro de Controle de Zoonoses (CCZ), somente neste ano foram registrados 288 casos nos felinos, um crescimento de 28% em relação ao ano passado, quando o número chegou a 225.

A situação é preocupante porque a esporotricose vem espalhando-se rapidamente pela cidade. Os primeiros casos apareceram em 2019, um total de 18, saltaram para 110 em 2021 e devem chegar a 300 até o fim de 2023.

LEIA TAMBÉM: Esporotricose: medicação está disponível no SUS do PR

Para falar sobre a doença, Luciana Chiyo, médica veterinária do Centro de Controle de Zoonoses e mestre em Ciências, esteve no programa Marco Zero. A conversa trouxe sintomas, tratamento e prevenção.



O Marco Zero é uma parceria entre o Portal H2FOZ e a Rádio Clube FM. O programa vai ao ar aos sábados pela manhã. Dê o play!

Durante a entrevista, foram respondidas as seguintes perguntas:

* O que é esporotricose ? 

* Quais são os sintomas da esporotricose?

* Como é transmitida a esporotricose?

* A esporotricose tem cura? Qual é o melhor tratamento?

* Qual é o principal ponto sobre a prevenção da doença?

* Como se transmite esporotricose para humanos?

* Ainda sobre os humanos: o que fazer em caso de suspeita?

* Em relação ao trabalho do Centro de Controle de Zoonoses, como é feito o exame de diagnóstico do CCZ?

* O CCZ também faz exame de cultura?

* Algumas pessoas confundem esporotricose com outras doenças, como raiva. A que se deve essa confusão? Como prevenir da raiva?

LEIA TAMBÉM