COP 28: Itaipu defende parcerias para o desenvolvimento sustentável

Binacional participou de painéis e reuniões bilaterais para debater temas como a importância das energias renováveis.

Apoie! Siga-nos no Google News

Itaipu Binacional foi uma das representantes de Brasil e Paraguai na Conferência das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas (COP 28), encerrada nesta semana, em Dubai (Emirados Árabes Unidos).

Leia também:
Municípios assinam primeiros contratos do programa Itaipu Mais que Energia

Em sua participação no evento, a entidade que gerencia a hidrelétrica do Rio Paraná participou de painéis e reuniões bilaterais com órgãos como a International Hydropower Association (IHA) e o Departamento de Assuntos Econômicos e Sociais das Nações Unidas (Undesa).

No foco das discussões, a união de esforços para alcançar resultados mais efetivos, adaptação de tecnologias globais para uso local e investimentos para o cuidado com o meio ambiente e com as pessoas.

“Foram dias importantes. Além dos painéis nos quais mostramos nosso trabalho socioambiental, fizemos contatos com outros países para a construção de parcerias com instituições que também atuam na defesa do meio ambiente e da sociedade”, destacou o diretor-geral brasileiro, Enio Veri, citado pela assessoria.

Reunião com representantes do Departamento de Assuntos Econômicos e Sociais das Nações Unidas (Undesa). Foto: Rafa Kondlatsch/Itaipu Binacional
Reunião com representantes do Departamento de Assuntos Econômicos e Sociais das Nações Unidas (Undesa). Foto: Rafa Kondlatsch/Itaipu Binacional

“Saímos satisfeitos, com ainda mais certeza de que somos a usina mais sustentável do mundo, e uma das empresas que mais se preocupam com questão social e ambiental, ao mesmo tempo em que produzimos uma energia limpa, barata e de boa qualidade para o Brasil e o Paraguai”, avaliou.

Uma das ações destacadas por Itaipu durante a conferência foi o apoio aos programas de coleta seletiva de lixo, possibilitando melhorias nos indicadores ambientais, geração de emprego e aumento da renda para coletores de material reciclável nos municípios de sua área de influência.

Para Ligia Soares, chefe do escritório de Brasília e responsável pelas relações institucionais de Itaipu na capital e com órgãos internacionais, a COP foi bastante intensa e serviu para fortalecer laços da binacional com instituições governamentais e da sociedade civil.

“Quando olhamos para a nossa realidade, vemos que já alcançamos resultados muito expressivos ao ouvir a comunidade e entender as suas necessidades. Agora queremos ir mais longe, voltamos com ideias e propostas muito interessantes destes dias de diálogos e cooperação”, disse Soares.

(Com informações de Itaipu Binacional)

LEIA TAMBÉM