A linha tênue entre protetor e acumulador de animais. A síndrome de Noé

A história é sempre a mesma. Alguém encontra um gato ou cachorro precisando de ajuda e recorre a determinada pessoa porque ‘ela gosta de animais’. Sem saber dizer ‘não’, a tal pessoa acolhe mais um bichinho.