Pelo pleno desenvolvimento de Foz do Iguaçu

José Afonso de Oliveira, fala sobre o desenvolvimento de Foz do Iguaçu.

Apoie! Siga-nos no Google News

Prof. José Afonso de Oliveira – OPINIÃO

Agora, no atual mundo globalizado, onde, aparentemente, tudo é pleno sucesso, destacando-se as questões de empreendedorismo e outras tantas, e transformando os trabalhadores em cidadãos independentes e patrões de si mesmos, temos de avançar e pensar em novas relações de trabalho e produção que possam dar conta das nossas necessidades mais fundamentais.

De outro lado fica muito difícil, senão mesmo complicado, pensar no Estado como único responsável por organizar a sociedade em todas as suas dimensões. Cada vez mais compete ao poder público a execução de políticas que possam ser elaboradas pela sociedade, por meio de pessoas preparadas tecnicamente.
É com essa ideia que podemos conceber para Foz do Iguaçu, que sendo a sétima cidade do Paraná possa ter um desenvolvimento equivalente, saindo da fase atual de uma grande inércia.

As universidades, públicas e privadas, existentes e consolidadas na cidade poderiam constituir uma organização de planejamento estratégico que estudaria as grandes questões locais e faria as propostas, atendendo às necessidades presentes, mas, de uma forma fundamental, a tudo aquilo que diz respeito ao futuro imediato, de vez que as mudanças hoje são grandes, profundas e muito rápidas.

Aqui um alerta ao pensarmos essas questões, elas têm de ser analisadas dentro de um contexto e um conjunto, de sorte que possamos ter desenvolvimento e não apenas crescimento econômico. Isso implica que todos os agentes do crescimento de nossa economia possam também usufruir melhores condições de vida. Não podemos mais ter crescimento com o surgimento de mais de 50 favelas no município, isso precisa ser pensado e resolvido em termos técnicos, para que tenhamos uma nova sociedade pautada no trabalho produtivo e na distribuição de renda para todos.

Análises de grande envergadura tanto quanto planos pontuais que sejam capazes de resolver as nossas demandas, tudo isso e muito mais deve ser pensado, analisado e proposto. Essas propostas, quando necessárias, serão encaminhadas à Câmara Municipal para serem dotadas de legislação específica, ou ao Poder Executivo para a realização de tudo aquilo que for proposto.

Essa é a melhor forma de pensarmos o presente e o futuro para a nossa cidade, que vai mudar radicalmente nos próximos anos.

José Afonso de Oliveira é sociólogo e professor universitário em Foz do Iguaçu.


Este texto é de responsabilidade do autor/da autora e não reflete necessariamente a opinião do H2FOZ.

LEIA TAMBÉM

Comentários estão fechados.