Preso foge de granja penitenciária no Paraguai para denunciar corrupção

H2FOZ – Cláudio Dalla Benetta

Que história! Perto de ganhar a liberdade definitiva, um detento que cumpria regime semiaberto na granja penitenciária localizada atrás da prisão de Tacumbú, em Assunção, fugiu nesta quinta-feira, 26, para denunciar ao canal de televisão SNT uma série de supostos casos de corrupção nos dois locais, a granja e a prisão.

Condenado a 10 anos de prisão por estelionato, o preso César Arévalos já cumpriu nove deles em Tacumbú. Mas se diz diz “farto” das diversas irregularidades na granja penitenciária, pelas quais responsabiliza o atual diretor, Ángel López. “Ele (López) é diretor no papel, mas é um interno que comanda e faz tudo o que quer”, assegura, conforme notícia publicada no jornal Última Hora.

César Arévalos, que se diz PPL (Pessoa Privada de Liberdade), denuncia que na granja é farra com droga todas as noites. “Alguém paga para sair e faz o que quer. É qualquer outra coisa, menos um estabelecimento penitenciário”, afirma.

Segundo o foragido, basta pagar 10 mil guaranis (menos de R$ 8,00) para sair da granja penitenciária para “batalhar” e depois voltar normalmente. “Ele (o diretor) está acostumado com isso.”

Denuncia ainda que os presos nem sequer recebem mate (“cozido” com leite), “mas tudo se vende ali”.

Pra ter moradia na granja, Arévalos diz que precisou pagar 5 milhões de guaranis (cerca de R$ 3.700). “Ela é tua depois que pagar tudo, mas reformas são por tua conta. Quando você quer sair nos fins de semana, tem que se aproximar do escritório do diretor (…). Tem que pagar os 5 mil guaranis. Quando eu tinha, pagava; senão, saía por trás, como fiz agora”, explica.

Versão oficial

O jornal Última Hora informa que o foragido foi detido em frente ao canal de TV e levado à delegacia. Dali, ele seria levado para a penitenciária de Emboscada.

O vice-ministro de Política Criminal, Rubén Maciel, afirmou à rádio 1020 AM que Arévalos efetivamente era um detento da granja penitenciária e que estava em regime semiaberto.

Maciel disse que é fácil sair da granja, basta passar uma vala, mas que as saídas são permitidas apenas para aqueles com regimes mais abertos e com boa conduta.

De acordo com o que os funcionários da granja penitenciária informaram ao vice-ministro, Arévalos violou o regulamento interno e, por isso, pediu para voltar a Tacumbú. Supostamente, seria essa a razão da fuga, de acordo com Maciel.

Gostou do texto? Contribua para ampliar o jornalismo em Foz do Iguaçu. ASSINE JÁ

Claudio Dalla Benetta - H2FOZ

Cláudio Dalla Benetta é repórter do H2FOZ. e-mail: [email protected] Veja mais mais conteúdo do autor.

error: O conteúdo é de exclusividade do H2Foz.