Em Foz, choveu em janeiro só 78mm, menos da metade do normal pro mês

As plantações sofrem, no campo e nos jardins de casa. Foto Defesa Civil/PR

É o que mostram os dados da estação do Inmet em Foz. Pra fevereiro, também é esperada pouca chuva.

A seca continua. Em Foz, choveu em janeiro apenas 78,7%, o que equivale a 47% da média histórica normal para o mês, que é de 166mm.

WHATSAPP – Assine a nossa linha de transmissão.

TELEGRAM – Entre em nosso grupo.

Houve longos períodos de chuva e em apenas três dias do mês o volume foi substancial: 32mm, no dia 3 de janeiro; 16,6mm, no dia 13; e 11,8mm, no dia 27. Nos outros poucos dias em que choveu, foram pancadas rápidas, que às vezes eram localizadas e nem se distribuíam por toda a cidade.

PUERTO IGUAZÚ

Ainda assim, choveu mais que na vizinha Puerto Iguazú, na Argentina, onde o normal é chover 177,7 milímetros em janeiro, mas as precipitações mal chegaram a 55%, ou 30% da chuva prevista, conforme noticia o portal El Territorio.

E fevereiro, como será? As possibilidades de que a situação se reverta são mínimas, mas ao menos haverá um pouco mais de chuvas.

“As condições climáticas vão ser similares, porque existe só um padrão climático reinando, que é La Niña e os domos de calor”, explicou ao portal o titular da Diretoria de Meteorologia e Prevenção de Riscos Naturais, Favio Cabello.

Dono de calor são as ondas de alta pressão estática que atuam como tampa sobre a região, impedindo a passagem das ondas de baixa pressão ou frentes de tempestades.

Estas áreas permanecem assim durante dias e até semanas, segurando o ar quente e desviando ou dissipando as chuvas, explica El Territorio.

“A possibilidade de que fevereiro tenha temperaturas acima do normal é altíssima, superior a 60%, e a chance de que chova menos do que o normal é muito alta, mais do que 60%”, disse o especialista.

Se serve de consolo, ele informou, também, que as temperaturas máximas e mínimas, embora elevadas, serão mais baixas do que as registradas em janeiro.

Quanto às chuvas, o mês será deficitário, mas haverá pancadas que farão com que “a seca não vá ser tão impressionante como em janeiro”.

Vale pra Misiones e Puerto Iguazú, e vale também para Foz do Iguaçu. Não só pela proximidade, mas porque a situação é comum a quase todo o Sul do Brasil, grande parte da Argentina e do Paraguai.

Quanto a chover um pouco mais em fevereiro, não consola muito. Quem tem jardim, sabe como as plantas estão cada vez mais mirradas, agonizantes.

E regar jardim, assim como lavar carro e calçadas, não parece prudente e sensato. Mesmo porque a tarifa d´água não está pra brincadeira.

Gostou do texto? Contribua para ampliar o jornalismo em Foz do Iguaçu. ASSINE JÁ

Já escutou o último episódio do GUARÊ, o podcast do H2FOZ? OUÇA AGORA

É proibida a reprodução total ou parcial deste conteúdo sem prévia autorização do H2FOZ.

Claudio Dalla Benetta - H2FOZ

Cláudio Dalla Benetta é jornalista e repórter do H2FOZ. e-mail: [email protected] Veja mais mais conteúdo do autor.