Argentina quer guichês automatizados na Ponte Tancredo Neves

Informação foi revelada pela titular da Direção Nacional de Migrações (DNM), Florencia Carignano.

Apoie! Siga-nos no Google News

Informação foi revelada pela titular da Direção Nacional de Migrações (DNM), Florencia Carignano.

Com o objetivo de reduzir filas, a Direção Nacional de Migrações (DNM), da Argentina, analisa implementar um sistema de guichês automatizados para a fiscalização de turistas na aduana da Ponte Tancredo Neves, fronteira com Foz do Iguaçu. A proposta é que as “cabines expressas” sejam usadas tanto por argentinos como por estrangeiros.

Em entrevista ao portal Plan B Misiones, a titular da DNM, Florencia Carignano, não deu data para a instalação dos equipamentos, que seriam colocados, a princípio, em parte da pista de entrada. Não havendo nenhuma pendência em relação aos documentos apresentados, a cancela seria automaticamente liberada para a passagem do viajante.

“Estamos trabalhando em uma licitação com um organismo internacional para poder apostar em tecnologia que permita que as pessoas possam fazer os trâmites através de uma máquina e agilizar os passos”, afirmou a diretora. “Estamos seguros de que isso vai ajudar bastante a agilizar a passagem.”

Além de Puerto Iguazú (onde já houve, antes da pandemia, teste com tecnologia automatizada), a previsão é de compra de equipamentos para a aduana da Ponte San Roque González de Santa Cruz, no limite entre Posadas (Argentina) e Encarnación (Paraguai); e para o Aeroporto Internacional de Ezeiza, principal terminal aéreo do país.

Em Ezeiza, já existe um sistema de fiscalização automatizada, mas que serve apenas para a verificação de documentos argentinos portados por viajantes maiores de idade. Turistas estrangeiros, por sua vez, precisam passar pelos controles manuais de entrada e saída. Para ler as declarações dadas pela diretora, em espanhol, clique aqui.

LEIA TAMBÉM

Comentários estão fechados.