Comerciantes de Ciudad del Este abrem filiais ou buscam vendas em Assunção

Nissei, Americana e Lion se expandem para a capital.

A vinda da Cellshop a Foz do Iguaçu, com a loja que será inaugurada nesta quinta-feira, 7 (veja aqui), representa mais um exemplo da necessidade de os comerciantes de Ciudad del Este expandirem seus negócios, para atrair novos clientes e não ficar à mercê das crises esporádicas comuns à fronteira paraguaia.

No ano passado, em dezembro, pelo menos duas grandes lojas de Ciudad del Este abriram filiais em Assunção: Casa Nissei e Casa Americana. Antes delas, ainda em fevereiro de 2020, o Shopping Lion já estava com loja montada na capital paraguaia.

O Shopping China buscou outra opção para não depender exclusivamente das vendas em loja física: desenvolveu um sistema de venda on line, o Ecommerce Shopping China, que chega a consumidores de todo o país, com ênfase na capital.

No caso da Cellshop, é fácil explicar a opção por Foz: o empresário Jorbel Griebeler é brasileiro. Ele fez sua vida de grande comerciante em Ciudad del Este, mas conhece bem o Brasil e viu na loja franca uma oportunidade de vender ainda mais aos turistas brasileiros, aos iguaçuenses e aos argentinos (quando a fronteira reabrir).

(Parênteses: falar em loja franca em Foz, como ficará o Duty Free Shop, em Puerto Iguazú? Está fechado há mais de um ano, desde o início da pandemia, e quando reabrir encontrará concorrentes no lado brasileiro, com preços provavelmente inferiores aos que pratica – ou praticava).

Em relação às lojas de CDE que se expandiram para Assunção, cada uma tem uma explicação, embora em comum falem que a abertura de filiais era um plano antigo, conforme a reportagem do portal America Retail, com o título “Quatro firmas comerciais encontraram em Assunção uma alternativa de mercado”. Outro aspecto salientado é que, com o fechamento da fronteira, a crescente demanda dos pedidos on line ajudou a expandir os negócios ao mercado da capital.

CONFIANÇA ADQUIRIDA

A gerente de marketing da Casa Nissei, Julieta Arce, disse que o projeto de abertura de uma loja em Assunção sempre fez parte dos planos da empresa. “As compras de nossos clientes de Assunção e vizinhança continuaram crescendo exponencialmente, produto da confiança que conquistamos durante quase 40 anos de trabalho”, afirmou.

O perfil dos clientes de Ciudad del Este e de Assunção mostra algumas diferenças, segundo ela, principalmente porque na loja de fronteira vêm turistas, que valorizam mais a agilidade no atendimento do que a atenção demonstrada ao cliente. Já em Assunção, agilidade e boa atenção por parte do vendedor são requisitos que têm valor igual, o que exigiu da empresa mais criatividade para buscar fórmulas de trabalho e novos processos de gestão.

NÃO FOI PELA CRISE

Ainda não havia a pandemia quando o Shopping Lion abriu sua filial em Assunção, em fevereiro do ano passado, mas Ciudad del Este enfrentava sucessivas crises econômicas. No entanto, apesar da redução de turistas, não foi esse o motivo, segundo a proprietária do shopping, Bruna Wan, que justificou a busca do novo mercado.

“Trazer o Shopping Lion a Assunção não tem nada a ver com a crise por que passa Ciudad del Este. De fato, a cidade continua desenvolvendo suas atividades comerciais, porque o mercado interno também é significativo”, acrescentou. A loja apostou muito no comércio pela Internet. Além de Assunção, o shopping abriu outra filial, este ano, em San Lorenzo.

GRANDE MERCADO

“A intenção de abrir uma filial da Casa Americana em Assunção nasceu porque, no início da pandemia, havia um grande mercado, tanto que as vendas por delivery aumentavam e grande parte dos pedidos teve como destino Assunção”, afirmou o proprietário da loja, Kenny Yuen.

A filial começou a operar no início deste ano, mas já em novembro de 2020 a Casa Americana começou a atuar fortemente na capital.

Yuen também disse que a ida a Assunção não tem a ver com a redução do fluxo comercial de Ciudad del Este, que ele considera ainda como uma região de grande potencial. “Ciudad del Este se caracteriza por uma competição muito grande nos preços, enquanto na capital se opta mais pela qualidade do produto”, comparou. “Esta é uma das diferenças entre os dois mercados.”

A Casa Americana, lembra o portal América Retail, é a mais antiga empresa em atividade em Ciudad del Este. Ela foi fundada em 1978.

E-COMMERCE COMO RESPOSTA À CRISE

O Shopping China preferiu não abrir filial em Assunção, mas sim desenvolver um sistema de venda on line, o Ecommerce Shopping China, principalmente quando a pandemia afetou o fluxo comercial fronteiriço.

E qual é a diferença do comprador de Assunção na comparação com o de Ciudad del Este? Eduardo Aguilera, diretor de comunicação do grupo Cogorno, ao qual pertence o shopping, disse que “os clientes da capital são mais metódicos na hora de comprar, enquanto em Ciudad del Este a demanda é mais eclética”.

Segundo Aguilera, o foco da empresa continuará sendo o comércio de fronteira, mas de agora em diante dará boa ênfase às vendas por e-commerce a Assunção.

“Nossa empresa já era conhecida antes da habilitação do Ecommerce Shopping China, porque o trabalho de marketing da equipe se encarregou de posicionar muito bem a marca. Isso possibilitou certa aceitação por parte da demanda de Assunção”, completou.

Gostou do texto? Contribua para ampliar o jornalismo em Foz do Iguaçu. ASSINE JÁ

Já escutou o último episódio do GUARÊ, o podcast do H2FOZ? OUÇA AGORA

Claudio Dalla Benetta - H2FOZ

Cláudio Dalla Benetta é jornalista e repórter do H2FOZ. e-mail: [email protected] Veja mais mais conteúdo do autor.

Claudio Dalla Benetta - H2FOZ tem 1047 posts e contando. Ver todos os posts de Claudio Dalla Benetta - H2FOZ