Você acha que faz calor? Então, prepare-se: amanhã teremos o dia mais quente da história!

H2FOZ – Cláudio Dalla Benetta

Os termômetros vão marcar, nesta quinta-feira, primeiro dia de outubro, 44 graus! Esta é a previsão do Instituto Nacional de Meteorologia – Inmet. Se confirmada oficialmente, será a temperatura mais alta já registrada em Foz do Iguaçu.

Segundo dados históricos do próprio Inmet, a máxima registrada em Foz, entre 2011 e 2019, foi de 40°C em 7 de dezembro de 2017. Antes disso, houve registros de 40°C em 29 de janeiro de 1978 e em  9 de fevereiro de 1979.

Quer dizer, nunca em outubro. 44 graus é mais ou menos como abrir a porta do inferno, pelo menos aquele imaginado por alguns religiosos mais conservadores.  

Sensação térmica de 54 graus!

O termômetro mede a temperatura ao abrigo do sol. Quem estiver debaixo do sol, vai torrar. Foto Patrícia Iunovich

Mas o pior é que esta temperatura pode ser muito maior. Você sabe que existe a temperatura registrada e a sensação térmica, não é? Dependendo de alguns fatores, o calor que sentimos é muito maior que o do termômetro.

Vamos à aulinha. Quando o tempo está quente – como vai estar – e muito úmido, a sensação térmica será maior que a indicada. Se a umidade for baixa, a sensação térmica será semelhante ou menor.

Agora vem o susto. O serviço nacional de previsão do tempo dos EUA calcula que, se a temperatura estiver em 42ºC e a umidade em 38%, a sensação térmica será de 52ºC.

Dependendo do horário, nesta quinta, a sensação térmica poderá variar entre 30% e 60%, pra arredondar os números. Consequentemente, vamos sentir um calorzinho superior a 54 graus.

Os cariocas, no dia 11 de janeiro deste ano, tiveram este gostinho. A temperatura máxima registrada pelos termômetros foi de 40,2 graus, mas a sensação térmica atingiu 54,8 graus, a terceira maior da história (já chegou a 60 graus).

Relativizando

Mas veja que a temperatura de 44 graus, em Foz do Iguaçu, só é prevista pelo Inmet. Não que os outros quatro serviços que consultamos estejam muito longe disso, mas as previsões variam bastante.

O CPTEC/Inpe, por exemplo, prevê “apenas” 37 graus de máxima. O Simepar, 38°C; o AccuWeather já chega aos 40°C; e o Climatempo, finalmente, indica 41°C.

O calorão se repete nos dias seguintes, mas um pouco mais moderado. Nada que o ar-condicionado na mais baixa temperatura e dois ou três ventiladores ligados ao mesmo tempo não resolvam. Em último caso, tem a porta da geladeira.

E a chuva, nada?

Esta cor entre o laranja e o vermelho, ao amanhecer, indica outro problema, a poluição atmosférica. Mas que é lindo, não dá pra negar!
Foto Patrícia Iunovich

Historicamente, outubro é o mês mais chuvoso do ano, em Foz do Iguaçu, com média histórica de 220 milímetros. Pra completar, outras médias históricas: temperatura mínima de 15°C e máxima de 29°C, conforme os registros dos últimos 30 anos.

No entanto, este outubro pode ser diferente, por culpa do fenômeno La Niña, que deve trazer seca para o Sul do Brasil e chuva para o Nordeste.

Aqui, fica assim. Para o Simepar, chove só quarta-feira da semana que vem, dia 7. Para o AccuWeather, vem chuva na quinta-feira, dia 8. O Inmet, que prevê o inferno pra amanhã, nem tem previsão de chuva na semana.

Para o Climatempo, no entanto, haverá pancadas de chuva na sexta e sábado. Depois, seca a perder de vista.

E o CPTEC/Inpe, finalmente, dá o tom otimista. A partir de terça-feira da semana que vem, chuvas isoladas todos os dias até o domingo.

O que nos resta? Torcer pra que a previsão de temperatura mais alta esteja errada; e que estejam errados os serviços que só veem seca no horizonte.

error: O conteúdo é de exclusividade do H2Foz.