Multinacional alemã quer Paraná como polo estratégico para produção

Objetivo é que o estado seja o centro logístico para exportação de máquinas agrícolas na América Latina.

Apoie! Siga-nos no Google News

A Horsch do Brasil confirmou a escolha do Paraná como centro estratégico de exportação de máquinas agrícolas na América Latina. O anúncio foi feito durante a visita da comitiva do governador Carlos Massa Ratinho Junior (PSD) à multinacional, em Schwandorf, na Alemanha.

LEIA TAMBÉM: Governador destaca em Foz do Iguaçu o papel da imprensa

O objetivo é que o estado seja o centro logístico da multinacional para exportações a países como Paraguai, Ucrânia, Estados Unidos, Canadá, Austrália e África do Sul. A empresa possui sete plantas espalhadas pelo mundo e mais de 3.500 funcionários.

A nova fábrica no Brasil foi inaugurada no início do ano, na Cidade Industrial de Curitiba. O investimento superou R$ 565 milhões com quase 500 postos de trabalho diretos e indiretos, informou a Agência Estadual de Notícias (AEN).



“A escolha pelo Paraná nos deixa muito felizes e confirma que o estado de fato caminha para se tornar o maior hub logístico da América Latina”, afirmou o governador. Para ele, isso se deve às políticas de incentivos fiscais ofertados, aos investimentos em infraestrutura e à dinâmica da economia.

A opção da Horsch está relacionada à qualidade de vida oferecida aos engenheiros alemães, segundo apresentação feita pelos diretores da empresa a Ratinho Junior, reportou a AEN. São mais de cem engenheiros especialistas mantidos pela empresa em Curitiba.

“A intenção da multinacional para os próximos anos é de expandir sua produção e exportação”, expôs a agência pública de notícias. Um novo pulverizador deve ser desenvolvido na planta paranaense por conta da demanda do setor, completou.

O Paraná desponta no agronegócio como força nacional. São 34 cidades com mais de R$ 1 bilhão de Valor Bruto de Produção Agropecuária por ano. O estado lidera a produção de proteína animal, além de ter alcançado a maior produção de soja da sua história na última safra.

Horsch

A alemã Horsch foi criada 1984 e sempre teve como foco desenvolver máquinas com tecnologia. Produziu equipamentos altamente tecnológicos e conquistou mercado na Europa e em outros continentes, chegando ao Brasil em 2015.

Em Curitiba, fabrica máquinas com componentes – e peças de reposição – da indústria nacional e importada. A maior parte de origem no país, proveniente do Paraná e de estados vizinhos.

LEIA TAMBÉM